Por bianca.lobianco
Antônio Fernando Hughes de Carvalho foi um dos assassinos de Rubens PaivaDivulgação

Rio - A Comissão Nacional da Verdade apresentou nesta quinta-feira, no Rio, o nome de dois agentes que torturaram e mataram o ex-deputado federal Rubens Paiva. De acordo com depoimentos de dois militares prestados a CNV, os autores do crime seriam o então tenente Antônio Fernando Hughes de Carvalho e o comandante do DOI, o também major José Antônio Nogueira Belham.

As informações foram obtidas por meio de um depoimento prestado por um militar que a Comissão da Verdade identificou apenas como “agente Y”. Um assessor da comissão, entretanto, confirmou ao DIA que a testemunha se trata do coronel da reserva Armando Avólio Filho, ex-integrante do Pelotão de Investigações Criminais da Polícia do Exército (PIC-PE).

Deputado federal, eleito pelo PTB, mesmo partido de João Goulart, Rubens Paiva foi cassado em 1964, logo após o golpe militar. Após um período no exílio, retorna ao Brasil, mantendo suas atividades empresariais. Em 20 de janeiro de 1971 é preso por agentes do Cisa (Aeronáutica) e entregue para o Doi-Codi do I Exército. Foi torturado em ambas as unidades. Sua morte se deu em 21 de janeiro de 1971 e uma farsa foi montada para ocultar o crime. Seu corpo nunca foi encontrado.

Há um ano, em fevereiro de 2012, a CNV apresentou as primeiras conclusões de sua investigação até aquele momento. Desde então, a comissão permaneceu na busca por restabelecer a memória e a verdade sobre o caso, encontrando novos elementos sobre as circunstâncias e também sobre a autoria das torturas contra Rubens Paiva e sua consequente morte.

comandante do DOI, o major José Antônio Nogueira Belham foi um dos assassinos de Rubens PaivaJuliana Dal Piva / Agência O Dia


Você pode gostar