Por paulo.gomes

Rio - A Polícia Militar divulga na tarde desta quinta-feira o esquema especial de policiamento para o Carnaval. A partir das primeiras horas da sexta-feira, todo efetivo da corporação - cerca de 54 mil policiais - estarão a postos para o patrulhamento extraordinário, que só termina na Quarta-feira de Cinzas, após a apuração das escolas campeãs do desfile.

A novidade este ano é que o chamado "batalhão administrativo", composto por agentes que fazem os serviços burocráticos das unidades e pessoal de férias, foi convocado para trabalhar. Todas as férias e folgas foram suspensas no período da folia. Com isso, serão aproximadamente dois mil policiais a mais empregados no patrulhamento, além do efetivo habitual.

Os principais pontos de atuação serão os locais de desfile dos blocos autorizados pela prefeitura e o entorno da Marquês de Sapucaí. Este último terá um plano específico de trabalho, com emprego de um maior número de policiais - inclusive dos setores de Inteligência e forças especiais, como os batalhões de Operações Especiais e de Choque, além de 50 viaturas para atender as demandas dentro e fora do Sambódromo.

Outros pontos de grande concentração de turistas, como as praias, Corcovado, Pão de Açúcar e Lapa, estarão com patrulhamento reforçado durante os dias de folia, pelos batalhões de área e do Policiamento em Áreas Turísticas (BPTur). As vias expressas ganham atenção extra com equipes do Batalhão de Choque circulando em viaturas, durante toda a sua extensão. Já o Batalhão de Policiamento de Grandes Eventos (BPGE) ficará responsável pela segurança das principais vias de deslocamento e acessos ao Centro, Sambódromo e Zona Sul.

As comunidades pacificadas receberão contingente extra das Unidades de Polícia Pacificadoras (UPP). Os mais de 9 mil agentes estarão distribuídos entre as suas unidades de lotação e, uma parte, em apoio à comunidades que necessitam de policiamento extra. As áreas mais críticas - principalmente as que tiveram episódios de confrontos recentes, como os complexos do Alemão e da Penha, Rocinha e Jacarepaguá -, entre outras, também ganham apoio de homens do Choque. O Batalhão de Operações Especiais (Bope) terá parte de seu quadro de prontidão para atuar em eventuais situações de emergência.

Toda a operação será monitorada por equipes que se revezarão 24 horas no Centro Integrado de Comando e Controle, na Praça Onze. É a primeira vez que a ação de Carnaval vai utilizar os recursos do órgão, com capacidade para monitorar todos os principais pontos de policiamento, com imagens transmitidas em tempo real.

Você pode gostar