Por bianca.lobianco

Rio - Fundado no Morro Cara de Cão, na Urca, por Estácio de Sá, em 1º de março de 1565, o Rio de Janeiro chega hoje aos 449 anos com o peso da História, mas com foco na modernidade. Ao longo dos últimos séculos, o Rio foi ganhando corpo em obras que o transformaram na Cidade Maravilhosa, como a construção do Aqueduto da Carioca, hoje Arcos da Lapa, nos anos 1700, a inauguração da Estrada de Ferro Central do Brasil, em 1858, e a abertura da Avenida Presidente Vargas, em 1944.

Agora, o Rio de Janeiro vive mais um ciclo de renovação, com intervenções urbanísticas de grande porte, como a revitalização da Zona Portuária. Elas estão dando uma nova cara para a cidade e preparando o terreno para eventos de projeção internacional, como a Copa do Mundo e as Olimpíadas de 2016.

Clique na imagem para ver o infográfico completoArte%3A O Dia

“A vitalidade do Rio ultrapassa as fronteiras nacionais. Ela se define pela capacidade de abrigar a diversidade dos novos tempos, que renova sua identidade sem perder sua rica história”, avalia Paulo Knauss, professor do Departamento de História da Universidade Federal Fluminense (UFF) e presidente do Instituto Histórico e Geográfico do Rio de Janeiro.

Uma das primeiras e mais significativas transformações se deu em 1750 com a inauguração do então Aqueduto da Carioca. Hoje, os Arcos da Lapa são um dos principais cartões-postais do Rio de Janeiro e do Brasil. Depois da chegada da Família Real, em 1808, a inauguração da Estrada de Ferro Central do Brasil na metade do século 19 deu início à expansão da cidade em direção aos subúrbios. A abertura para o mundo, por sua vez, foi reforçada com a construção do Porto do Rio.

A partir de 1892, com a abertura do Túnel Alaor Prata, o Túnel Velho, ligando Botafogo ao areal de Copacabana, e até o final do século 20, outras obras de grande porte foram se sucedendo. Entre elas, o Aterro do Flamengo e a construção das avenidas Central (hoje Rio Branco), Presidente Vargas e Brasil. Sem falar na inauguração de ícones da cidade: o Cristo Redentor, o Maracanã e a Ponte Rio-Niterói.

Das intervenções em curso, que mexem com o dia a dia do carioca, sobretudo na área de mobilidade urbana, a revitalização da Região Portuária, com o Porto Maravilha; a criação dos BRTs e a modernidade do Veículo Leve Sobre Trilhos (VLT), que integrará metrô, trem, barcas e o Aeroporto Santos Dumont, no coração histórico da cidade, são destaques.

“São transformações que deveriam ter sido feitas ao longo das últimas sete décadas”, comenta o prefeito Eduardo Paes, que reconhece os transtornos provocados pelas obras em toda a cidade: “Mas os próximos aniversários serão comemorados com menos incômodos e mais tranquilidade”. E certamente com um Rio de Janeiro mais bonito e conectado ao futuro.

Você pode gostar