Por thiago.antunes

Rio - Não é fácil acompanhar o trâmite de um pedido de informação feito à prefeitura pela Internet. Ao entrar no site Transparência Carioca (www.transparenciacarioca.rio.gov.br), o cidadão é transferido para uma página do serviço 1746, onde deve preencher um formulário e explicitar seu pedido.

O problema ocorre depois do envio da requisição: o site não fornece um número de protoloco que permita o acompanhamento do processo. O contribuinte fica, portanto, sem ter como cobrar o envio das informações.

Sem protocolo

A Casa Civil da prefeitura diz que o protocolo é enviado, em até 24 horas, por torpedo ou e-mail. O Informe fez o teste — e não recebeu qualquer número que permitisse acompanhar o pedido.

Sem táxis

Quem desembarca no Terminal 1 do Galeão sofre para conseguir táxis comuns. Motoristas da cooperativa que atua por lá culpam o trânsito, que dificulta o retorno dos veículos. O problema é que o passageiro acaba prejudicado — seria o caso, então, de abrir o ponto para outros taxistas.

Olho no lance

A fantasia de juiz de futebol cego — de óculos escuros e bengala — foi uma das vencedoras do concurso promovido no Baile do Trapiche Gamboa. Representava o árbitro que não viu o gol do Vasco contra o Flamengo. O sujeito dividiu o prêmio com foliões fantasiados de médicos cubanos, de jaleco, boina e charuto.

Fim de festa

Médico, o vice-prefeito de Itaboraí, Audir Cabral, ficou animadíssimo ao coroar a rainha do Carnaval da cidade, uma mulata de 1,80m. Mas perdeu o rebolado quando o pai da moça comentou com ele: “O senhor é que fez o parto dela, doutor...”.

Data querida

O Rio merece fazer aniversário no Carnaval.

Você pode gostar