Por bianca.lobianco

Rio - A prefeitura adiou por tempo indeterminado a licitação para construir as UPPs da Vila Cruzeiro, no Complexo da Penha, e do Morro de São Carlos, no Estácio. A concorrência pública aconteceria esta semana. Juntas, as duas estruturas custariam aos cofres públicos cerca de R$ 10 milhões. O município assumiu a responsabilidade de investir nas unidades de pacificação após o empresário Eike Batista deixar de injetar R$ 20 milhões no projeto.

A suspensão ocorreu, segundo a RioUrbe, porque a liberação do edital pelo Tribunal de Contas do Município (TCM-RJ) ocorreu na véspera da concorrência pública. A construção para abrigar a UPP do São Carlos ficaria na Rua Frei Caneca. Já a da Vila Cruzeiro está prevista para ser na Estrada José Rucas. Os locais foram escolhidos pela Secretaria de Segurança Pública (Seseg). Estas duas unidades funcionam em contêineres.

A expectativa da prefeitura é investir R$ 13 milhões na reforma de oito unidades e a construção de três bases definitivas. Nesta semana, O DIA denunciou a situação de penúria de algumas UPPs. Um dos postos mencionados é a casa onde morou o traficante Marcinho VP, que está em péssimas condições e serve como base no Santa Marta. O imóvel está com o reboco despencando, as paredes têm infiltrações, há fios expostos e falta um pedaço da porta de madeira. A frente da unidade virou depósito de lixo dos moradores.

Você pode gostar