Por bianca.lobianco

Rio - Depois de ouvir mais de 10 depoimentos e com um retrato falado em mãos, o delegado Fábio Cardoso, da Divisão de Homicídios, afirmou nesta sexta-feira que seus agentes estão perto de localizar o suspeito de estuprar e matar uma jovem de 18 anos na Favela da Rocinha, esta semana. Entretanto, a identidade dele ainda será mantida sob sigilo.

“Antes de divulgar o nome ou a imagem, precisamos encontrar o suspeito”, disse Fábio Cardoso
Os pais da vítima, Francisca Gleiciane Oliveira da Silva, de 18 anos, prestaram depoimento, ontem à tarde, na sede da DH, na Barra da Tijuca. Mas deixaram o local sem dar declarações, levados por uma viatura da UPP da Rocinha. A jovem foi encontrada morta na quarta-feira no banheiro de um bar na localidade conhecida como Cachopa.

ATO APÓS ENTERRO

Um laudo do IML constatou que ela foi morta por asfixia e vítima de violência sexual. Segundo amigas, Gleiciane dizia que estava sendo perseguida por um homem. “Ela disse que um homem tentou abrir a porta da casa dela e que colocou o rosto na janela”, contou Stephany de Oliveira, de 18 anos.

O corpo dela foi enterrado, anteontem, no Cemitério São João Batista, em Botafogo. Depois do sepultamento, cerca de 200 pessoas fizeram uma manifestação, fechando a Autoestrada Lagoa-Barra por 30 minutos.

Você pode gostar