Manifestantes percorrem ruas do Centro e complicam o trânsito

Duas manifestações no horário do rush complicaram a volta do carioca para a casa

Por O Dia

Rio - O carioca viveu mais um dia de trânsito complicado por causa de protestos nas ruas na volta para casa. Duas manifestações pacíficas provocaram lentidão em vias do Centro do Rio na tarde de ontem. A primeira, iniciada por volta das 16h30 na Avenida Presidente Vargas, durou quatro horas e reuniu cerca de 80 pessoas que, segundo a Polícia Militar, eram desalojadas de um prédio ocupado irregularmente na Avenida Francisco Bicalho, próximo à Rodoviária Novo Rio.

Também na Presidente Vargas, por volta de 18h50, um grupo de aproximadamente 40 pessoas, carregando faixas e cartazes, promoveu um ato contra agressões às mulheres e em defesa de seus direitos. O movimento era batizado de “Mulheres em Luta, Marcha Mundial das Mulheres e Casa da Mulher Trabalhadora”.

Na primeira manifestação, a pista central da Presidente Vargas no sentido Candelária foi interditada por vários momentos, gerando lentidão durante quase toda a tarde no Trevo das Forças Armadas e no Viaduto do Gasômetro, além de problemas na própria Francisco Bicalho. Policiais do 4º BPM (São Cristóvão) acompanharam o ato. Ninguém foi detido.

No segundo protesto, duas faixas no sentido Praça da Bandeira, na altura da Rua Uruguaiana, foram interditadas em função da passagem dos manifestantes, que seguiram até as imediações da sede da Prefeitura do Rio, na Cidade Nova. A pista da Presidente Vargas foi totalmente liberada por volta das 19h45.

O trânsito também ficou complicado em outros pontos da cidade na manhã da primeira segunda-feira após o Carnaval. Em torno das 10h40, um acidente envolvendo um ônibus do consórcio Internorte causou transtorno na pista sentido Zona Sul do Túnel Santa Bárbara, no Elevado 31 de Março e imediações.

As retenções afetaram a Presidente Vargas até o acesso da Praça da Bandeira, a Francisco Bicalho e o bairro do Estácio, na altura da Rua Frei Caneca.

Segundo o Centro de Operações Rio, a demora na liberação foi causada pelo vazamento de óleo do ônibus na pista, da saída do túnel até a Pinheiro Machado. A via foi liberada por volta das 11h30, após a limpeza do líquido. O coletivo, que não chegou a enguiçar, recebeu reparos na Pinheiro Machado, perto do Palácio Guanabara.



Últimas de Rio De Janeiro