Por thiago.antunes

Rio - O tempo em que os barraqueiros das praias do Rio cobravam de acordo com a cara do cliente poderá ficar para trás. Pelo menos é o que pretende a iniciativa do Procon Carioca, em parceria com a Secretaria Municipal de Ordem Pública (Seop). Representantes dos dois órgãos entregaram neste sábado novo modelo de placa de preços que as barracas do Leblon, Ipanema e Arpoador, na Zona Sul, terão de usar.

As multas para quem descumprir a nova regra vão de R$ 300 (para quem não tiver a lista à vista dos clientes) a R$ 400 (rasuras). Quem reincidir no erro, pode ter até a licença cassada. De acordo com a secretária municipal de Direito do Consumidor, Solange Amaral, o objetivo é evitar a cobrança de preços abusivos a turistas e cariocas. “Com uma tabela é possível procurar a barraca que cobra o melhor preço”, disse.

Fábio Ferreira%2C subsecretário de Defesa do Consumidor%2C mostra a tabelaSaulo Stefano / Agência O Dia

Para o barraqueiro João Esteves Clemente, há 19 anos no Posto 8, em Ipanema, a medida vai tornar o comércio na areia mais profissional. “Dá mais transparência ao nosso trabalho, já que clientes poderão escolher onde comprar.” Os banhistas esperam para ver se a medida vai funcionar e, por enquanto, reclamam da variação de preços. “Hoje mesmo, quando perguntei quanto era o aluguel da barraca e da cadeira, cobraram R$ 15. Disse que não era turista e paguei R$ 12”, contou a profissional de RH, Bruna Cirne.

Você pode gostar