Por thiago.antunes

Rio - O Iate Clube Jardim Guanabara (ICJG), na Ilha do Governador, caiu nas garras do Ministério do Trabalho. Ao fiscalizar a situação de 200 funcionários do clube, que cobra R$ 650 reais pela mensalidade, agentes descobriram que muitos não tinham nem mesmo carteira assinada.

Um dos integrantes da diretoria do ICJG é José Moraes, conselheiro e vice-presidente do Tribunal de Contas do Município, órgão responsável por fiscalizar a prefeitura. Moraes ocupa o cargo de comodoro do clube náutico.

Irregularidades

O clube recebeu, ainda, 13 multas por irregularidades. Entre elas, abusos nas jornadas de trabalho e desrespeito ao descanso de funcionários. O caso dos trabalhadores sem registro é avaliado pelo Ministério Público do Trabalho e pelo Ministério do Trabalho e Emprego.

Tira cá, coloca lá

O deputado estadual Carlinhos Moutinho (PTB) tem contado a amigos que está feliz da vida depois de uma cirurgia plástica. Ele fez uma lipo e aproveitou a gordura que tirou do abdômen para turbinar as nádegas. “Eu não tinha bunda!”, comemora o parlamentar.

Decisão tomada

O prefeito de Paracambi, Tarciso Pessoa (PT), já decidiu quem vai apoiar nas próximas eleições estaduais. E, ao que tudo indica, a decisão não seria favorável ao seu partido.

Fernando Molica está de férias

Você pode gostar