Por thiago.antunes

Rio - O aumento das passagens de trem e metrô, autorizado na terça-feira pela Agetransp (agência estadual reguladora dos transportes) para daqui a 60 dias, já gerou reações. O Fórum de Luta Contra o Aumento das Passagens deve se reunir até a próxima terça-feira para definir manifestações contra o reajuste.

“O Governo do Estado chegou a prometer que não aumentaria essas tarifas na época do reajuste dos ônibus, mas foi só mais uma mentira”, criticou Gabriel Siqueira, integrante do Fórum. A passagem nos trens para quem não tem o Bilhete Único passará de R$ 2,90 para R$ 3,20 (aumento de 10,34%) e ,no metrô, de R$ 3,20 para R$ 3,50 (alta de 9,37%). O governador Sérgio Cabral havia anunciado, no início do ano, que não haveria aumento. Entretanto, o governo depois explicou que não haverá reajuste para os portadores do Bilhete Único, cujas tarifas são subsidiadas. Todos os moradores da Região Metropolitana podem retirar o Bilhete Único.

O aumento vem em linha com o definido pela Prefeitura do Rio para os ônibus municipais, cujas passagens passaram de R$ 2,75 para R$ 3 (aumento de 9,09) em fevereiro. Representante do Movimento Nacional pelo Direito ao Transporte, Nazareno Stanislau Affonso explica que o aumento do preço da energia elétrica impacta nas passagens de trens e metrô e que seria necessária a redução desse insumo para o transporte.

Você pode gostar