A salvação das borboletas

Loja que vendia quadros com espécies em extinção é multada em R$ 1,43 milhão

Por O Dia

Rio - Crime ambiental levou agentes da 12ª DP e fiscais do Ibama à loja Brazil Green Comércio de Presentes ontem à tarde. O estabelecimento, que funciona na Rua Ministro Viveiros de Castro, em Copacabana, vendia quadros com borboletas da fauna brasileira mortas e dissecadas. O problema é que muitas delas estão ameaçadas de extinção. Foram apreendidas 1.334 borboletas, e a loja foi multada em R$ 1,434 milhão. Cleber Luiz da Silva Batista, que respondia pela loja, foi autuado em flagrante.

Segundo a delegada titular da 12ª DP, Izabela Santoni, a operação teve início após o recebimento de denúncias, encaminhadas à Polícia Federal, que acionou a delegacia local. “É importante que a população comunique esse tipo de crime para que a polícia possa chegar aos responsáveis. Qualquer pessoa que flagre o comércio ilegal de animais silvestres pode e deve denunciar pelo Disque-Denúncia (2253-1177) ou nos procurar na delegacia”, ressaltou a delegada Izabela.

A multa para cada borboleta ameaçada de extinção é de R%24 5 mil. Operação contou com agentes do Ibama e da delegada Izabela SantoniDivulgação

O Ibama informou que a multa por cada exemplar de borboleta vendida sem autorização é de R$ 500. Já as espécies ameaçadas, que têm a venda proibida, resultam em R$ 5 mil de multa por borboleta.

Os agentes, ao chegarem à loja, pediram a documentação que autorizaria a venda. Entretanto, Cleber Luiz apresentou apenas as etiquetas coladas atrás dos quadros, que indicavam que o produtor da mercadoria era de São Paulo.

De acordo com informações do Ibama, mesmo para espécimes cuja a venda é legalizada, são necessárias guias de autorização para a confecção, transporte e venda final ao consumidor.
Segundo Izabela Santoni, a loja também não tinha autorização formal para a venda dos insetos ou produtos feitos a partir deles.

Últimas de Rio De Janeiro