Por camila.borges

Rio - Em audiência de conciliação realizada na sede do Tribunal Regional do Trabalho (TRT), entre a prefeitura de Niterói e representantes do sindicato dos servidores de Asseio e Conservação, pôs fim a greve da categoria em Niterói, nesta segunda-feira.

O retorno dos profissionais ao trabalho foi uma solicitação da desembargadora Maria das Graças Viegas Paranhos, vice-presidente do Tribunal Regional do Trabalho do Rio de Janeiro, que comandou a reunião entre o município e os grevistas. Como não houve acordo entre as partes envolvidas, uma nova audiência foi marcada para a próxima segunda-feira. Se não houver consenso na nova rodada de negociações, o TRT deverá convocar uma sessão para julgamento do dissídio coletivo na semana seguinte.

De acordo com a secretária de Planejamento e Gestão de Niterói, Patrícia Audi, a prefeitura ainda apresenta um quadro dramático em suas contas, com a nova administração honrando dívidas herdadas da administração passada e reconstruindo diversos órgãos, entre eles a Companhia de Limpeza de Niterói (Clin).

“Temos o maior respeito pela categoria e estamos abertos ao diálogo. Esta foi a sexta vez que nos reunimos com o sindicato em busca de um entendimento. Mas temos muitas limitações e dificuldades encontradas pela nova administração, como elevadas dívidas a honrar, inclusive as referentes a obrigações trabalhistas, de INSS e imposto de renda da Clin que não foram honradas na administração de 2012. O pagamento dessas dívidas foi escalonado ao longo do período para garantir que os direitos trabalhistas dos funcionários da companhia de limpeza permanecessem intactos. Sabemos das dificuldades e esperamos que o consenso prevaleça”, disse Patrícia. 

Desde quinta-feira, por meio da Clin, a prefeitura vem mantendo o plano de contingência para evitar maiores transtornos nos dias de greve e manter a conservação da cidade em patamares razoáveis. O plano será mantido até o retorno à normalidade das atividades.

Você pode gostar