Por camila.borges

Rio - A Secretaria de Estado de Proteção e Defesa do Consumidor (Seprocon), por meio do Procon Estadual, assim como foi feito com o Leite Elegê, abriu processo administrativo na sexta-feira, 21, onde suspendeu preventivamente a venda de leite das marcas Líder e Parmalat em todo o estado do Rio. O processo foi instaurado a partir da informação veiculada nos meios de comunicação, pelo Ministério Público do Rio Grande do Sul, que esses leites podem ter sido processados com matéria-prima contaminada com formol. O Procon Estadual instaurou o processo para averiguar se os produtos das marcas distribuídos no estado do Rio apresentam o mesmo problema.

Este é o segundo processo administrativo instaurado, na sexta, suspendendo a distribuição de leite no Rio de Janeiro. O alvo do primeiro processo foi o leite Elegê, devido a informação veiculada pelo Procon de que o produto estaria impróprio e decidiu suspender a venda dessa marca de leite também em todo o estado.

Tanto a BRF, empresa detentora da marca Elegê, quanto a LBR, responsável pelas marcas Líder e Parmalat, já foram notificadas sobre os processos e deverão realizar exames de amostras de todos os lotes de seus produtos que estiverem à venda no estado. O teste deverá ser realizado pela Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) com amostras recolhidas após a instauração destes processos. Somente após a apresentação desses exames, atestando a qualidade dos produtos, eles poderão voltar a ser comercializados. 

Você pode gostar