Por paulo.gomes

Rio - Marcos Vinícius Farias de Oliveira, de cinco anos, uma das vítimas atropeladas pelo ônibus alimentador do BRT Transoeste na segunda-feira, teve alta na manhã desta terça-feira, do Hospital Estadual Rocha Faria, em Campo Grande. A criança é irmão de Melyssa Farias, de 11 anos, que foi uma das vítimas fatais do acidente.

População cerca o ônibus que atropelou seis pessoas nesta segunda-feira%2C em GuaratibaJosé Pedro Monteiro / Agência O Dia

Segundo a Secretaria Estadual de Saúde, Teresa Nunes Crispi, de 55 anos, segue internada no Rocha Faria. Ela passará por exames e seu estado de saúde é estável. Já Stefani Macedo dos Santos, de cinco anos, está internada no Hospital Estadual Adão Pereira Nunes, em Duque de Caxias, e seu estado é grave.

Além de Melyssa, as outras crianças mortas no acidente serão sepultadas nesta terça-feira. O enterro de Érica Macedo dos Santos, de 6 anos, acontecerá às 13h, no Cemitério de Guaratiba. Melyssa e Mariana Ferreira Augusto, de 10, serão sepultadas no Jardim da Saudade de Paciência, às 15h e 15h30, respectivamente.

Motorista é preso na noite de segunda-feira

O motorista do ônibus, Dimas Vitalino do Carmo, foi preso em flagrante, por policiais da 43ª DP (Guaratiba), na noite de segunda. Roberto Cardoso, o delegado titular da unidade, o motorista responderá por homicídio culposo e lesão corporal. Por volta das 10h23, o ônibus da linha 854AA (Campo Grande x Ilha de Guaratiba), da Autoviação Jabour, atropelou as seis vítimas que estavam na parte central da Estrada do Mato Alto, esperando o momento de atravessar a via quando foram atingidas pelo veículo.

Ônibus atropela seis pessoas%2C entre elas cinco crianças%2C e deixa vítimas fataisJosé Pedro Monteiro / Agência O Dia

As famílias estavam inconsoláveis. A mãe de Érica e Stefani, a dona de casa Aline Macedo, de 30 anos, estava ao lado das filhas. Ela contou que havia acabado de buscar as crianças na escola. Todos eram vizinhos e esperavam na calçada para atravessar a pista. “O ônibus veio desgovernado e arrastou todo mundo. Tentei puxar as meninas, mas não consegui. Agora uma das minhas filhas está morta”, desabafou, amparada pelo marido.

Marcela da Silva, de 26 anos, tia de Érica e Stefani alegou que a tragédia havia sido anunciada. Segundo contou, a Estrada do Mato Alto concentra um grande número de acidentes por causa da velocidade em que os motoristas trafegam pela via. Poucos metros do local do acidente há uma curva conhecida como “curva da morte”.

“Aqui os ônibus passam correndo e não respeitam os sinais. Colocaram um radar, mas ele nunca foi ligado”, contou.

O avô das meninas, o taxista Antônio Sérgio da Costa, de 55 anos, falou que a Estrada precisa de quebra-molas. É comum que os moradores da região atravessem um pista e fiquem no canteiro central esperando que algum motorista respeite o sinal para que os pedestres cruzem todas as pistas.

“Ele veio correndo e as pegou no canteiro, em cima da calçada, na frente do sinal. Perdi minha neta e estou quase perdendo a outra porque os motoristas correm e não sabem parar no sinal vermelho. Essa falta de respeito ocasionou uma tragédia”, relatou.

Rio Ônibus diz que motorista 'tem bom histórico'

No início da tarde desta segunda, o Rio Ônibus divulgou uma nota oficial para falar sobre o acidente. Eles informaram que o motorista está na empresa há 24 anos e apresenta um bom histórico profissional, e que o ônibus, número de ordem D86266, fabricado em 2012, está com as vistorias do Detran e da Secretaria Municipal de Transportes em dia. Ainda segundo a nota, será disponibilizado as imagens das duas câmeras do veículo para a perícia da Polícia Civil e que será prestado apoio às vítimas e parentes.

Moradores fazem protesto no local do acidente

Moradores da Estrada do Mato Alto fizeram um protesto no local do acidente com o ônibus que matou três crianças. Eles fecharam a estrada às 16h30 fazendo uma barricada com pneus e carregando cartazes com pedidos de Justiça.

Pouco antes das 19h, um morador ateou fogo nos pneus e começou um tumulto com bombas jogadas por manifestantes. Um morador que lançou pedaços de paus nas barricadas chegou a ser detido pela PM, revoltando os moradores.

À noite, os moradores deram as mãos, fizeram uma grande roda em torno de uma cruz, colocada no local do acidente, e rezaram um Pai Nosso. Às 19h30 a estrada foi finalmente reaberta.

Você pode gostar