Hora para pensar no planeta

Monumentos cariocas vão aderir sábado a blecaute mundial por um mundo sustentável

Por O Dia

Rio - Inserido em uma das maiores florestas urbanas do mundo, o Cristo Redentor também está de braços abertos para um movimento que une pessoas ao redor da Terra pela consciência ambiental. Na noite de sábado, a partir das 20h30, as luzes que iluminam o monumento serão desligadas durante uma hora pelo sexto ano consecutivo. A Igreja da Penha também vai ficar às escuras, além da residência de centenas de cariocas, que prometem um blecaute simbólico contra o desperdício dos recursos naturais.

Cristo ficará às escuras amanhã por 60 minutos a partir das 20h30Divulgação

Organizada pela ONG WWF desde 2007, a campanha Hora do Planeta mobiliza pessoas de 153 países a desligarem as luzes de suas casas no fim de março, para chamar atenção para o aquecimento global e as mudanças climáticas. Cerca de 80 cidades do Brasil aderiram ao movimento, que já conta com a participação confirmada de mais de 50 mil usuários das redes sociais, a lém de personalidades como os atores Tainá Müller, Reynaldo Gianecchini e Maria Fernanda Cândido, o roteirista Bráulio Mantovani e o músico Ivo Meirelles. Desde a primeira edição, mais de 2,2 milhões de pessoas e duas mil empresas se unem pela causa.

Segundo a superintendente de Comunicação de Engajamento e Marketing da WWF-Brasil, Renata Soares, a ideia da ação vai além da economia de luz. “Na verdade, é um símbolo para a conscientização, um movimento que busca engajar pessoas na questão das mudanças climáticas, visando a preservação da biodiversidade”, disse ela, que também elogiou a adesão da prefeitura carioca. “Lutamos pela mobilização dos monumentos mais emblemáticos porque é o que chama a atenção das pessoas”.

Importantes monumentos de outras capitais também terão a iluminação suspensa no sábado, como a Esplanada dos Ministérios, em Brasília, e a Igreja da Pampulha, em Belo Horizonte.

O reitor do Cristo Redentor, padre Omar Raposo, ressaltou a preocupação ecológica da Arquidiocese. “Como santuário religioso e monumento sagrado, o Cristo traz consigo a responsabilidade sócio-ambiental”, disse o sacerdote. “A preocupação ecológica a faz parte da nossa cooperação com a sociedade”.

O biólogo Felipe Lima, de 34 anos, promete dar o exemplo para os filhos manterem acesa a luz da consciência ambiental. “Eles não saem do videogame, mas já combinei com eles que no sábado a gente vai curtir as luzes das velas, porque não quero que eles cresçam em um planeta doente”, disse.

Últimas de Rio De Janeiro