'Achei que fosse um dia seguro', afirma mãe de adolescente baleado na Maré

Vinícius Guimarães, de 15 anos, foi morto quando participava de uma confusão na comunidade

Por O Dia

Rio - A ocupação do Complexo da Maré acabou como não planejado. Se no início da manhã deste domingo, as Forças de Segurança ocuparam a comunidade em apenas 15 minutos, sem nenhum tipo de problemas. No entanto, no início da tarde, uma confusão entre jovens, terminou com a morte de um adolescente e outros dois ficaram feridos.

Os menores envolvidos na confusão foram encaminhados para a 21ª DP (Bonsucesso)José Pedro Monteiro / Agência O Dia

Vinícius Guimarães, de 15 anos, morreu ao dar entrada na UPA Vila do João, após ser baleado por um traficante identificado apenas como Caveirinha, que seria da Nova Holanda. O adolescente levou um tiro quando participava de uma confusão entre jovens da Baixa do Sapateiro e de Nova Holanda. A mãe dele, que não quis se identificar, reclamou da falta de segurança no dia da ocupação da Maré.

"Eu fiquei espantada como num dia de hoje quando ocuparam a Maré, não ter um policial na área. Pensei que fosse um dia seguro", disse.

Além de Vinícius, foram baleados D.S.P., de 13 anos, e R.G.S., de 16. Eles foram encaminhados para o Hospital Federal de Bonsucesso onde passaram por cirurgia. De acordo com Reginaldo, pai de R., estava dentro de casa na hora da confusão.

"Ele é um menino normal. Ele estava em casa viu a confusão, ficou curioso e foi ver o que era e acabou levando um tiro", diz.

Também no Hospital de Bonsucesso, deu entrada, só que pela manhã, Gustavo Augusto Alves, 18 anos. Ele foi encontrado na Linha Amarela, por volta das 8 horas, com ferimento na cabeça e veio a falecer, segundo informações da assessoria de imprensa do hospital.

Menores são detidos pelo Batalhão de Choque

Cerca de 27 jovens acabaram detidos pelo Batalhão de Choque, acusados de depredar os carros na Linha Vermelha e encaminhados para a 21ª DP (Bonsucesso).

Confira imagem em 360 graus da operação

Confira outras fotos em 360 graus da operação

Últimas de Rio De Janeiro