Polícia apura se grávida foi alvo de ladrões ou vítima de crime passional

Mulher leva facadas e é estrangulada em São Gonçalo. Bebê não resiste

Por O Dia

Suelen estava com sinais de estrangulamento%2C cortes no pescoço e as mãos amarradas para trásReprodução Internet

Rio - Grávida de seis meses, Suelen de Souza Sales, de 26 anos, preparava o enxoval e estava ansiosa para a chegada do primeiro filho. Mas os sonhos da auxiliar administrativa acabaram de forma brutal, ontem de manhã, quando ela foi morta por estrangulamento — com fio de computador — e facadas. O crime aconteceu na casa dela, no bairro Trindade, em São Gonçalo. Médicos tentaram salvar o bebê, mas não conseguiram. A Delegacia de Homicídios de Niterói, São Gonçalo e Itaboraí investiga as hipóteses de latrocínio (roubo seguido de morte) e até mesmo crime passional.

Segundo vizinhos, dois criminosos pularam o muro da vila onde fica a casa da família, à Avenida São Paulo, logo após o marido da vítima, Rodrigo Folly Cuzzuol, sair para trabalhar, por volta das 6h30. Segundo o delegado Wellington Vieira, o viúvo mostrou estar inconsolável e muito abatido. “Estamos investigado ele também. Queremos saber se havia briga entre o casal. Vamos ouvir parentes e vizinhos para saber se eram comuns desentendimentos. A primeira linha de investigação é latrocínio, e a segunda, de crime passional”, disse Vieira, que vai ouvir Rodrigo novamente hoje.

À polícia, o marido não soube dizer o que foi levado do imóvel. De acordo com familiares, o casal guardava em casa dinheiro para viajar para o Sul do Brasil ainda este ano. Testemunhas contaram que bandidos deixaram o local carregando duas sacolas de lixo cheias.

O filho que Suelen carregava no ventre ainda não tinha nome escolhido pelos pais. Uma ambulância do Samu chegou a ir até o local para tentar salvar o neném, mas não foi possível. Segundo a família, o chá de bebê aconteceria em junho. O enterro será hoje, às 10h, no Cemitério Parque da Paz, em São Gonçalo.

Últimas de Rio De Janeiro