Polícia consegue imagens do momento exato da morte de executivo escocês

Agentes estão trabalhando para tentar identificar a placa do veículo que emparelhou com o carro da vítima

Por O Dia

Rio - O delegado da Divisão de Homicídios de Niterói, Itaboraí e São Gonçalo (DHNISG) Wellington Vieira conseguiu as imagens do momento exato da morte do executivo escocês. As câmeras da Autopista Fluminense sinalizam que Scot Peter Campsie, de 48 anos, morreu por volta das 13h da última quarta-feira. A concessionária administra o trecho da BR-101, na altura de São Gonçalo, na Niterói-Manilha.

Nas imagens, dois homens negros emparelham com o carro junto ao escocês. A vítima então acelera e os criminosos efetuam dois disparos, um que acertou a lateral do carro e outro que atingiu o peito do estrangeiro. 

O escocês Scot Peter Campsie vivia com esposa e filha de dez anos em MacaéReprodução Internet

Os agentes estão trabalhando as imagens para tentar levantar a placa do veículo. Segundo eles, o mesmo veículo cometeu outros assaltos na mesma semana e no mesmo trecho. O delegado informou que está preparando um documento que será entregue para a Polícia Rodoviária Federal solicitando o patrulhamento no trecho entre Niterói e Itaboraí da BR-101, pois não há segurança nenhuma. 

"Estou muito preocupado com o trecho entre Niterói e Itaboraí, que está largado. Está sendo recorrente a desova de corpos e o roubo de carros a qualquer hora do dia", alegou. 

Crime ganha repercussão internacional

A vítima retornava para Macaé, no Norte Fluminense, onde morava com a esposa e uma filha de 10 anos, após participar de uma reunião em Niterói, Região Metropolitana do Rio. Campsie era executivo da Diamond Offshore Drilling International, empresa do ramo petrolífero, e residia no Brasil há uma década.

O assassinato aconteceu no Km 309, em São Gonçalo e o caso ganhou repercussão em diversos jornais da Europa. O site da "BBC", de Londres, lembrou que o crime aconteceu na mesma semana em que tropas militares ocuparam o Complexo da Maré. O "The Independent", do Reino Unido, divulgou um comunicado que seria dos familiares da vítima que dizia: "Ele (Scot) era um homem que amava a vida e e trouxe tanta alegria e riso para aqueles ao seu redor. Ele era um amigo leal e pai, irmão e filho que se importava profundamente com todos. Ele foi morto de forma tão cruel".

Já o "The Telegraph" lembrou que o crime aconteceu há menos de três meses para a Copa do Mundo e que as autoridades brasileiras "estão tentando desesperadamente tranquilizar o mundo que vai oferecer um torneio seguro".

Últimas de Rio De Janeiro