Por paulo.gomes
Vamilson Oliveira de Andrade era casado e tinha três filhosEduardo Almeida / Agência O Dia

Rio - "Ele passou no lugar errado, na hora errada". É o pensamento de Tânia da Silva, de 53 anos, madrasta de Vamilson Oliveira de Andrade, que morreu na noite desta quarta-feira, atingido por uma bala perdida, na altura da Favela Terra Nostra, em Guadalupe, Zona Norte. Segundo Tânia, o vidraceiro, de 29 anos, estava no carro com seu padrasto, quando, para fugir do engarrafamento, acessou a Estrada do Camboatá, no momento em que ocorria um tiroteio entre traficantes.

"Ele estava com o vidro fechado, ouvindo o jogo do Flamengo e não ouviu os tiros. Apesar dele conhecer o local, o Vamilson nunca tinha feito esse caminho. Ele passou no lugar errado, na hora errada", afirma Tânia.

Pai da vítima, Jonas Batista de Andrade, 53 anos, afirmou que o filho trabalhava ao seu lado como vidraceiro desde os 10 anos de idade e que ultimamente pensava em deixar a Baixada Fluminense justamente para fugir do engarrafamento.

"Ele sempre falava que queria ficar mais perto do Centro para poder evitar os engarrafamentos".

Vamilson, que era casado e tinha três filhos, havia deixado seu pai em Inhaúma, na Zona Norte, e seguia para sua casa, em Nilópolis, na Baixada Fluminense. Ele foi atingido na cabeça por um tiro que perfurou o para-brisa e acabou morrendo na hora. O padastro conseguiu pular do carro e se abrigar. Ele nada sofreu.

Você pode gostar