Por bianca.lobianco

Rio - Manoel Augusto Sales, pai de Suelen de Souza Sales, afirmou, nesta quinta-feira, que não conhece nada que altere a conduta do genro Rodrigo Folly Cuzzuol. O pintor industrial está do lado de fora da Divisão de Homicídios de Niterói Itaboraí e São Gonçalo (DHNISG) aguardando a acareação entre o víúvo de Suelen e a principal acusada do assassinato de sua filha, Flávia Ramos, de 33 anos. A vítima, de 26 anos, que estava grávida de seis meses, foi morta em sua residência, em São Gonçalo, a facadas e por estrangulamento, na última segunda-feira.

"Tinha ele como um filho. Ele cometeu um erro a qual todo mundo está sujeito, que é um caso extraconjugal. Não imaginava que poderia acontecer essa tragédia. Considero ele meu genro, uma pessoa do bem. Ele não mediu as consequências do ato dele. A verdade vai prevalecer. Ela (Suelen) recebeu um anjo do demônio que foi enviado por essa mulher para sondar e revelar o dia e a hora de ela ser executada", disse o pai da grávida de seis meses. A acareação que começou por volta das 11h desta quinta, apura os depoimentos das partes para ver se entram em contradição. 

Parentes de Suelen também estão do lado de fora da delegacia. Segundo eles, a mulher acusada de ser a autora do crime e o víuvo de Suelen, estão fazendo acusações mútuas para que um assuma a culpa do assassinato. A polícia descobriu que Flávia era amante de Rodrigo. O clima é bastante tenso no local. Além das acusações, está havendo uma contradição no horário em que Rodrigo saiu de casa e deixou a vítima sozinha.

O primo de Suelen, Rodrigo Sales, disse que o celular da vítima sumiu e que no aparelho constavam ameaças que ela sofria da amante, além de vídeos eróticos de Flávia com Rodrigo. Ainda de acordo com ele, a própria acusada mandava uma amiga filmar e mandar as imagens para o celular da vítima.

Outro primo de Suelen, Alex Sales, afirma que os dois eram casados há cinco anos. "No ano passado a Suelen chegou a se separar, ficou 30 dias fora de casa por conta da traição. O Rodrigo foi atrás dela e eles reataram", relatou.

A mãe de Rodrigo, Iara Cuzzuol, também esteve na delegacia e prestou depoimento. Segundo ela, eles era um casal normal. "Eles tinham muito amor e se tratavam com muita consideração. Eles chegaram a morar comigo e nunca presenciei uma briga entre os dois. Acredito na inocência do meu filho e descarto a possibilidade da participação dele nesse crime", disse ela. Iara também acrescentou que sente raiva da espécie humana por fazer esse tipo de coisas que acabam com a vida de uma pessoa.

Na casa da vítima a polícia encontrou dinheiro e jóias, o que não configura latrocínio (roubo seguido de morte), mas sim, execução. A pessoa foi até a casa da vítima apenas para executá-la.

DH divulga imagens com suspeitos de matar grávida em São Gonçalo

A DH divulgou, na noite desta quarta-feira, imagens de quatro suspeitos que podem estar envolvidos no assassinato de Suelen de Souza Sales, 26 anos. Na primeira imagem, uma mulher passa olhando para os lados próximo da casa da vítima, no horário do crime.

Na segunda, uma outra mulher também anda na mesma região, com uma sacola nas mãos. Por fim, dois homens carregam dois objetos ainda não identificados momentos após a morte.

Mulher que aparece em imagens pode estar envolvida em crimeReprodução

Viúvo disse que quer ver amante na cadeia

Rodrigo Folly Cuzzuol, viúvo da vítima, afirmou que quer ver sua ex-amante, Flávia Ramos, 33 anos, na prisão. "Quero botar esta mulher na cadeia. Não vejo a hora desta acareação acontecer. Ela vai ter que olhar na minha cara e dizer o que fez com a minha esposa. Estou aqui para fazer justiça", disse Cuzzuol, na porta da Divisão de Homicídios (DH) de Niterói, São Gonçalo e Itaboraí, na tarde desta quarta-feira.

Ele revelou ainda que foi ouvindo informalmente por agentes da DH e não acredita ser o pai do filho de Flávia. "Estou sem comer desde segunda-feira, para colaborar com a polícia. Preciso ficar tranquilo. Se for para ficar choroso, estaria em casa. Eu acredito que não sou o pai do filho desta mulher, mas o bebê tem que nascer primeiro para isso ser investigado", contou. A acareação deve ser feita a partir das 10h desta quinta-feira.

Sobre o dinheiro que sumiu da casa onde morava com Suelen, em São Gonçalo, Rodrigo crê que sua mulher foi coagida. "Sumiram R$ 3.800 que estávamos juntando para fazer uma viagem. Devem tê-la torturado para descobrir onde estava o dinheiro, mas não sei o que aconteceu", disse.

'Ela é uma prostituta', afirma viúvo

'Quero colocar esta mulher na cadeia'%2C disse viúvo de vítima sobre ex-amanteLeandro Resende / Agência O Dia

Segundo Rodrigo, a ex-amante não aceitou o fim do relacionamento, que durou oito meses. O viúvo afirma não ter nenhum envolvimento com a morte da esposa. "Eu e minha esposa somos as vítimas. Ela (Flávia) é a pessoa que assassinou minha esposa e o meu bebê motivada pela inveja. Tudo vai ser provado e esclarecido, eu não tenho nenhum envolvimento", afirma.

Rodrigo chamou a ex-amante de prostituta e disse não ter certeza se é o pai do bebê que ela está esperando. "Ela é uma prostituta. Ficamos juntos oito meses e ela saía com vários homens. Ela ficou me pressionando para que a gente procurasse uma clínica de aborto", conta. Segundo o viúvo, uma mulher chamada Ana Cláudia, que seria amiga de Flávia, foi dias antes em sua casa para conversar com Suelen. Ele acredita que ela tenha ido realmente para conhecer o local onde ele mora, no bairro Trindade, já premeditando o crime.

Estrangulada em casa com fio de computador e esfaqueada

Grávida de seis meses, Suelen preparava o enxoval e estava ansiosa para a chegada do primeiro filho. Mas os sonhos da auxiliar administrativa acabaram de forma brutal, na manhã de segunda-feira, quando ela foi morta por estrangulamento — com fio de computador — e facadas. Médicos tentaram salvar o bebê, mas não conseguiram.

Segundo vizinhos, logo após Rodrigo Folly sair para trabalhar, por volta das 6h30, dois criminosos pularam o muro da vila onde fica a casa da família, na Avenida São Paulo. O marido não soube dizer à polícia o que foi levado do imóvel. De acordo com a família, o casal guardava em casa dinheiro para viajar para o Sul do Brasil ainda este ano. Testemunhas contaram que bandidos deixaram o local carregando duas sacolas de lixo cheias. Suelen e Rodrigo ainda não tinham escolhido o nome do filho. Segundo a família, o chá de bebê aconteceria em junho.

Você pode gostar