Prefeitura e desalojados não chegam a acordo e acampamento cresce

Representantes de famílias que estão em frente à Prefeitura recusam proposta de ir à São Cristóvão para cadastramento

Por O Dia

Rio - Famílias que estavam construindo a ocupação no terreno da Oi no Engenho Novo e que foram removidas nesta sexta-feira continuam acampadas em frente à sede da Prefeitura, na Cidade Nova. O acampamento, que começou com algumas dezenas de pessoas na madrugada de sexta-feira, já reúne cerca de 2 mil pessoas. O número não para de crescer. A cada hora mais pessoas desembarcam de ônibus e vans que param na Avenida Presidente Vargas.

VEJA TAMBÉM

> Paes e Pezão prometem mandar conta da desocupação para a Oi
> Famílias acampam sem banho ou alimentação em frente à Prefeitura
> GALERIA: Desalojados acampam em frente à Prefeitura

Na manhã deste domingo, cinco representantes dos invasores do prédio da Oi foram recebidos pelo secretário municipal de Assistência Social Adilson Pires, entre outros representantes de órgãos municipais.

A Prefeitura propôs levá-los até a sede da Guarda Municipal, na Avenida Avenida Pedro II, em São Cristóvão, onde seria feito um cadastro das famílias. Os representantes dos desalojados recusaram a proposta. Em uma nova reunião, no início da tarde, a Prefeitura insistiu na proposta e o grupo de representantes tornou a recusar. Por conta do impasse, uma nova reunião foi marcada para terça-feira.

De acordo com os ex-ocupantes, o Conselho Tutelar passou, neste sábado, em frente à Prefeitura para recolher as crianças e levá-las para abrigos, mas advogados voluntários entraram com um pedido de habeas corpus coletivo no plantão do Judiciário para evitar que as crianças fossem levadas. O pedido foi concedido.


Últimas de Rio De Janeiro