Autuada por irregularidades, CCR Barcas culpa chuva

Concessionária alega que mau tempo provocou atrasos. Em outra ação de fiscalização, empresa Tinguá teve dois ônibus apreendidos

Por O Dia

Rio - Operação realizada pelo Procon-RJ na Estação Arariboia, em Niterói, multou a CCR Barcas por diversas irregularidades na manhã desta segunda-feira. O valor das multas, no entanto, não foi divulgado. Foram vistoriadas as embarcações Itapuca, Neves, Gávea I, Ingá II e Urca III, que fazem a travessia para a Praça 15, no Rio. Segundo o órgão fiscalizador, da bilheteria ao embarque, os passageiros enfrentaram uma espera de 17 minutos.

Os fiscais constataram atrasos de até seis minutos na saída das embarcações Itapuca, Gávea I e Ingá II. Durante o trajeto da barca Itapuca, segundo o Procon, passageiros reclamaram do intenso barulho. Ainda na Itapuca e também na Ingá II, cerca de 30 assentos estavam sem coletes salva-vidas e, na barca Neves, os armários que guardam os coletes estavam amarrados com corda, o que dificultaria a retirada do equipamento em caso de emergência.

Na lanchonete Rei do Mate das barcas Ingá II e Urca III foram descartados 13 pães de batata, 200g de queijo prato e 1,8kg de salgados vencidos e outros sem prazo de validade. A tabela de produtos também não divulgava o preço aos clientes.

Procon%3A tempo de espera de 17 minutos%2C da bilheteria ao embarqueReprodução

Por nota, a CCR Barcas alegou que, nos horários de pico, os intervalos entre as viagens são de 10 minutos na linha Arariboia — Praça 15. Entretanto, a empresa informou que o tempo chuvoso na manhã de ontem influenciou o horário de partida da embarcações. Com relação aos coletes salva-vidas, a concessionária afirmou que atende ao número exigido e acrescentou que o proprietário da lanchonete será notificado sobre a autuação.

Também nesta segunda-feira, o Departamento de Transportes Rodoviários (Detro) realizou uma operação na empresa de transportes Tinguá, que só este ano foi alvo de 89 reclamações junto à Ouvidoria do Detro.
Dois ônibus foram recolhidos, sendo um por falta de selo de vistoria e outro por iluminação, limpador de para-brisa e elevador para portadores de necessidades especiais inoperantes.

Outros sete coletivos também receberam infrações, sendo duas por descumprimento do quadro de horários, três por dupla função do motorista sem autorização, uma por elevador inoperante e outra por trafegar sem autorização com ônibus rodoviário na linha Vila de Cava-Central

Últimas de Rio De Janeiro