Por paulo.gomes

Rio - De acordo com os desalojados do terreno da Oi, no Engenho Novo, os representantes da Prefeitura do Rio receberão nesta segunda-feira, às 14 horas, a liga formada por 10 mulheres responsáveis pela interlocução com a prefeitura, na Cidade Nova. O governo municipal receberá as reivindicações e deverá respondê-las a na reunião próxima reunião, que está agendada para esta terça-feira, às 9 horas.

>>> GALERIA: Manifestantes e guardas municipais entram em confronto

Cerca de 600 pessoas, entre elas aproximadamente 150 crianças, permanecem em frente à sede da Prefeitura do Rio. Eles estão no local desde a última sexta-feira, quando a propriedade foi ocupada pela Polícia Militar. Os desalojados pedem o reassentamento imediato. Por volta das 10h30, os manifestantes fecharam a Avenida Presidente Vargas e houve confronto com os guardas municipais. Os agentes dispararam sprays de pimenta e foram respondidos com pedradas. Mais cedo, eles também já haviam interrompido a avenida.

Manifestantes e usuários do metrô se misturam na passarela da estação Cidade NovaCacau Fernandes / Agência O Dia

No fim de semana, a prefeitura chegou a propor um cadastro desses moradores para que fossem contemplados em algum programa de habitação. No entanto, eles se negam a deixar o local e a preencher qualquer cadastro sem uma reunião com um representante do governo municipal.

"Cadastro não é garantia de nada. Até hoje moradores do Bumba (em Niterói) esperam suas respostas. O que pedimos é uma reunião com alguma autoridade que nos apresente um plano de reassentamento", diz Guilherme dos Santos, integrante do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto, que apoia a causa.

Para se proteger da chuva que cai desde o início da manhã desta segunda-feira no Rio, os antigos ocupantes do terreno da Oi se protegeram na passarela do metrô da Cidade Nova, dificultando a circulação dos passageiros. Integrantes de vários sindicatos e partidos políticos estão no local apoiando a causa.

Você pode gostar