Por bianca.lobianco

Rio - O Departamento de Transportes Rodoviários (Detro) recolheu dois veículos da empresa Tinguá, a quinta empresa que recebe mais reclamações junto a ouvidoria do órgão, durante fiscalização na Rodoviária Novo Rio, nesta segunda-feira. Além da Tinguá, seis ônibus de circulação das empresas Cidade do Aço e Útil também foram retirados. 

Para checar as condições de tráfego e o serviço prestado pela Tinguá, a fiscalização esteve nos terminais Alvorada (Barra da Tijuca), Américo Fontenelle (Central) e nos pontos de parada próximos ao Into (Zona Portuária do Rio). Como resultado dois ônibus foram recolhidos, sendo um por falta de selo e outro por iluminação, limpador de para-brisa e elevador para portadores de necessidades especiais inoperantes e “cigarra” defeituosa.

Além dos recolhidos, a Tinguá recebeu infração em outros sete ônibus, sendo duas por descumprimento do quadro de horários, três por dupla função do motorista sem autorização, uma por elevador inoperante e outra por trafegar sem autorização com ônibus rodoviário na linha Vila de Cava-Central.

Entre janeiro e abril: 89 registros de reclamações

Entre janeiro e abril a Tinguá foi alvo de 89 registros junto à Ouvidoria do Detro sendo a linha Central-Miguel Couto (via Luiz Lemos) a mais reclamada. Entre as principais queixas estão a má conservação dos veículos, descumprimento do quadro de horários, falta de ônibus de duas portas e alteração de itinerário.

Já na Rodoviária Novo Rio, como havia sido anunciado pelo presidente do Detro, Alcino Rodrigues, a fiscalização foi reforçada nesta segunda-feira para checar as condições dos veículos rodoviários que chegam ao local que é a principal porta de entrada do transporte rodoviário na Capital.

Na rodoviária foram recolhidos dois ônibus da Cidade do Aço por falta de selo de vistoria e quatro da Útil, um por falta de selo de vistoria e três por operar com veículos sem autorização para o trajeto intermunicipal.

Você pode gostar