Manifestantes queimam ônibus e carros de passeio em Niterói

Grupo montou barricadas e interditou trecho da Rodovia RJ-104

Por O Dia

Rio - Cerca de 30 manifestantes incendiaram quatro ônibus e três veículos de passeio no início da tarde deste sábado na RJ-104 (Rodovia Amaral Peixoto), na altura da comunidade do Caramujo, em Niterói, na Região Metropolitana. O grupo montou barricadas e interditou um trecho da via.

>>> GALERIA: Confira fotos da manifestação em Niterói

Por conta do ato, parte da Alameda São Boaventura, no Fonseca, ficou fechada. A pista de descida da Amaral Peixoto, no sentido Niterói, foi liberada por volta das 15h20. Reboques retiram os ônibus incendiados na pista de subida da rodovia.

Manifestantes deixaram rastro de destruição em NiteróiJosé Pedro Monteiro / Agência O Dia

Segundo PMs do 12º BPM (Niterói), cerca de 10 homens armados mandaram que os ônibus parassem e exigiram que os passageiros descessem. Assustadas, as vítimas buscaram abrigo em uma concessionária. O grupo então depredou e depois ateou fogo nos veículos.

Os moradores protestaram contra duas recentes mortes na região. Na madrugada desta sexta-feira, Anderson Santos Silva, de 21 anos, morreu ao ser atingido por um tiro quando ia para uma vigília de Páscoa com a família, no Caramujo. O protesto começou depois do sepultamento de Anderson, ocorrido no fim desta manhã no Cemitério do Maruí, em Niterói.

Ônibus incendiado na Rodovia RJ-104Leitor via WhatsApp

Na madrugada deste sábado, um jovem identificado como Emanoel Gomes, de 17 anos, morreu no Morro do Céu, após bater contra um caveirão do Batalhão do Choque. Inicialmente havia informação de que o veículo pertencia ao Batalhão de Operações Especiais (Bope).

A Arquidiocese de Niterói lamentou o a morte de Anderson Luiz por meio de nota. "Anderson, que atuava na animação musical das celebrações, ia com sua mãe e sua irmã para a igreja, onde participariam da procissão penitencial. No trajeto que faziam de casa para a igreja, começou um tiroteio entre a polícia e membros da comunidade. O jovem, procurando defender sua mãe e sua irmã, foi atingido e morreu."

Durante protesto%2C manifestantes queimaram ônibusJosé Pedro Monteiro / Agência O Dia


Últimas de Rio De Janeiro