Niterói: grupo protesta e autoridades vão debater violência nesta terça-feira

Pezão, Beltrame e Rodrigo Neves se reúnem. Em pauta, instalação de UPP

Por O Dia

Rio - Moradores do Complexo da Lagoinha, no bairro Caramujo, em Niterói, fizeram novo protesto pela morte de duas pessoas num intervalo de 24 horas, no fim de semana. A manifestação foi pacífica, na altura do Morro da Caixa D’Água, e provocou engarrafamento no sentido Niterói da RJ-104 (Niterói-Alcântara). Nesta terça-feira, está marcada uma reunião entre o governador, Luiz Fernando Pezão; o prefeito de Niterói, Rodrigo Neves; o secretário de Segurança, José Mariano Beltrame, entre outras autoridades. Em pauta, a violência na cidade e a possível data para instalação de Unidade de Polícia Pacificadora (UPP).

Durante o protesto, a poucos quilômetros dali, um tiroteio no Fonseca assustou moradores da Zona Norte de Niterói. Criminosos tentaram assaltar uma padaria e acabaram flagrados por policiais militares numa viatura. Os bandidos abandonaram um Eco Sport preto e conseguiram fugir. De acordo com policiais que participaram da troca de tiros, todos estavam armados com fuzis. Não houve feridos.

Moradores do Caramujo queimam ônibus em protesto contra mortes na comunidadeFoto%3A José Pedro Monteiro / Agência O Dia

Mobilização na Internet

Moradores de Niterói estão agendando para sábado, no Caio Martins, reunião para que sejam discutidas propostas de trabalho e de ações que possam garantir a segurança da população. O evento está sendo divulgado pela internet através de redes sociais. Niteroienses contam que assaltos e tiroteios têm sido constantes, em qualquer hora do dia e local. O grupo criado no Facebook com o nome ‘Niterói contra a violência’ já reúne mais de duas mil pessoas.

Últimas de Rio De Janeiro