Tiroteios assustam funcionários, e UPA de Costa Barros é fechada

Médicos abandonaram plantão, alegando falta de segurança

Por O Dia

Rio - A Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Costa Barros, na Estrada de Botafogo, no acesso ao Morro da Pedreira, teve que ser fechada nesta segunda-feira por causa da violência. Os constantes tiroteios, possivelmente entre traficantes rivais, desde a noite de sexta-feira, deixaram o clima tenso no local.

A Polícia Militar nega que tenha realizado operações no complexo de favelas da região no fim de semana e garante que o policiamento foi reforçado. A Secretaria Municipal de Saúde confirmou que a unidade foi atingida por disparos de arma de fogo. Há marcas de tiros em vários pontos da UPA, como em armários de funcionários, na sala de repouso, dentro de um dos banheiros e também na copa da unidade. Um tiro, por pouco, não atingiu uma maca.

Médicos e profissionais de saúde que trabalham na unidade estão indo embora de seus plantões e anotando no boletim da unidade o motivo: insegurança. Pacientes em estado grave foram transferidos para outros hospitais. Ainda de acordo com a secretaria, a unidade, que tem capacidade para fazer nove mil atendimentos por mês, deve ser reaberta hoje, caso haja segurança no local para médicos e pacientes.

“Os tiroteios são constantes e já perdi muitas noites de sono por causa dos traficantes, que conseguiram apavorar os médicos da UPA”, disse, assustada, uma dona de casa, de 29 anos, que, por medo, não se identificou. Ela mora próximo da Unidade de Pronto Atendimento, que é cercada por favelas como Lagartixa e Chapadão.

Últimas de Rio De Janeiro