Por thiago.antunes

Rio - A briga no PMDB em torno do apoio à reeleição de Dilma Rousseff está animada. Vice-presidente da República, Michel Temer determinou uma marcação cerrada sobre os peemedebistas que, em junho, votarão na convenção que definirá a posição do partido.

Para a tarefa foram mobilizados o ministro Moreira Franco, o deputado Eliseu Padilha (RS) e o ex-deputado João Henrique (PI). Eles tentam evitar a repetição de situações como a ocorrida no Rio, onde peemedebistas já defendem o voto em Aécio Neves (PSDB).

Os carinhos

A disputa pelos convencionais inclui carinhos como telefonemas em aniversários e até promessas relacionadas à Fundação Nacional de Saúde.

O indicado

Ligado a João Henrique, Henrique de Carvalho Pires, atual diretor de Saúde Ambiental da Funasa, foi indicado por Temer para a presidência do órgão.

Bancada reage

Liderada por Eduardo Cunha (RJ), desafeto do PT, a bancada do PMDB na Câmara dos Deputados dá o troco a Temer. Vai convocar o diretório nacional do partido para discutir, antes da convenção, quais são as vantagens de apoiar Dilma.

Trair e coçar

No PMDB, há bola nas costas em todos os níveis.Muitos caciques contavam com o apoio de Orson Welles, presidente do diretório da Barra, a Tiago Mohamed, ex-subprefeito do bairro. Era tudo mentira: Welles também disputará vaga na Alerj.

Mosquito atacado

O aedes aegypti é uma vítima da ocupação do Alemão. Em outubro de 2010, antes da entrada da PM, o risco de infestação de dengue calculado pela Secretaria de Saúde era de 6,3%. Em janeiro passado, caiu para 1,6%.

Você pode gostar