Por felipe.martins

Rio - O delegado titular da 13ª DP (Ipanema), Gilberto Ribeiro, confirmou que o dançarino Douglas Rafael da Silva pereira, o DG, foi morto por um tiro. Ele saiu ainda há pouco do local onde o corpo do jovem foi encontrado, a Creche Escola Lar de Pierina, situada na Ladeira San Roman, na comunidade Pavão-Pavãozinho.

De acordo com o titular da 13ª DP, o dançarino foi vítima de um tiroReprodução Internet

O delegado ficou cerca de uma hora acompanhado por agentes da Divisão de Homicídios. A especializada vai dar suporte a equipe da 13ª DP, responsável pelo caso.

"Vim fazer o reconhecimento do local para entender a dinâmica do fato e até para comparar com os depoimentos dos policiais", disse o delegado.

Ribeiro já ouviu alguns PMs da UPP envolvidos no caso. São 10 PMs que participaram do confronto na segunda-feira e dois que encontraram o corpo na terça de manhã. Os PMs serão chamados para depor novamente.

"Ouvimos os policiais antes da descoberta do corpo. Quando eles foram ouvidos, tínhamos apenas um confronto sem vítima, por isso eles serão chamados para depor novamente, devido a morte de Douglas".

Tranquilidade após noite de protestos

A madrugada desta quarta-feira foi de aparente tranquilidade na região. Até às 4h30 nenhum incidente havia sido registrado. A família e os moradores acusam os policiais de terem matado DG. Eles afirmam ainda que um jovem conhecido como Dilson da Silva, vulgo Mateusinho, de 27 anos, teria sido atingido por um tiro de fuzil na cabeça. A vítima sofria de problemas mentais, segundo os moradores, e teria sido atingido quando descia a Ladeira San Roman, perto da esquina com a Rua Sá Ferreira, em Copacabana.

Segundo relatos, cerca de 30 franceses que estavam hospedados na pousada Pura Vida Hostel, em Copacabana, foram embora em um micro-ônibus após o confronto na comunidade. Eles não quiseram falar com a imprensa presente no local e só afirmaram que estavam com muito medo.

Entenda o caso

O dançarino foi encontrado morto nos fundos de uma creche no Morro Pavão-Pavãozinho nesta terça-feira. Moradores afirmam que o jovem foi atingido por policiais dentro da creche Solar Menino de Luz após ser confundido com um criminoso.

Após morte de dançarino do 'Esquenta' no Morro Pavão-Pavãozinho%2C policiamento segue reforçado com homens do Bope%2C Choque e batalhões da áreaFoto%3A Fernando Souza / Agência O Dia

Depois que o corpo foi encontrado, moradores da comunidade realizaram um protesto violento nas imediações do local, que interditou diversas ruas de Copacabana por mais de cinco horas, incluindo a Avenida Nossa Senhora de Copacabana. Uma terceira pessoa foi encontrada morta no campo de futebol na localidade. Trata-se de um homem de 30 anos. A informação foi confirmada pela Secretaria Municipal de Saúde.

Apresentadora lamenta morte de dançarino

Douglas Rafael da Silva Pereira, 26 anos, era conhecido como DG e dançava no programa "Esquenta", da apresentadora Regina Casé. De férias, a apresentadora lamentou a morte jovem. Regina demorou para receber a triste notícia e afirmou que toda a família "Esquenta" encontra-se devastada.

“Eu estou arrasada e toda a família Esquenta está devastada com essa notícia terrível. Uma tristeza imensa me provoca a morte do DG, um garoto alegre, esforçado, com vontade imensa de crescer. O que dizer num momento desses? Lamentar claro essa violência toda que só produz tragédias assim. Que só leva insegurança às populações mais pobres do país. Agora, é impossível saber exatamente o que houve. Mas é preciso que a Polícia esclareça essa morte, ouvindo todos, buscando a verdade. A verdade, seja ela qual for, não porá fim à tristeza. Mas é o único consolo”, declarou Regina.



Você pode gostar