Moradores de Niterói se reúnem para criar ações contra violência

Participantes discutiram as recentes trocas de tiro entre policiais e traficantes e assaltos no município

Por O Dia

Rio - Os moradores de Niterói, Região Metropolitana do Rio, se reuniram na tarde deste sábado para propor ações urgentes contra a onda de violência que atinge a cidade. O encontro, iniciado por voltas das 15h, ocorreu no ginásio de esportes Caio Martins, onde os participantes discutiram as recentes trocas de tiro entre policiais e traficantes e assaltos no município. A proposta é reunir ideias sobre segurança pública e colocá-las em prática.

Moradores de Niterói no Ginásio Caio MartinsAndré Mourão / Agência O Dia

Para ajudar na mobilização, foi criado um perfil no Facebook sobre o evento. Com o título 'Unindo forças contra a violência', a iniciativa diz que 'há algo muito maior que a sociedade niteroiense pode fazer para mudar a realidade'. O convite faz questão de destacar que 'nenhum partido ou político ou futuro candidato está envolvido na organização. Esta reunião é estritamente de iniciativa da Sociedade Civil'.

Reforço

O secretário de Segurança Pública José Mariano Beltrame anunciou na tarde da última terça-feira a criação de uma nova companhia destacada da Polícia Militar em Niterói. A nova unidade será instalada no bairro do Fonseca e vai abranger os bairros da região. Ficou decidido ainda que a companhia do Morro do Cavalão será reformada e o efetivo do 12º BPM receberá um reforço de 100 policiais.

As delegacias da cidade irão intensificar, a partir desta quinta-feira, o patrulhamento nas áreas de atuação com o apoio da Delegacia de Combate às Drogas (DCOD) e da Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente (DPCA). A reunião aconteceu na sede da prefeitura e contou com a presença do governador Luiz Fernando Pezão, o prefeito Rodrigo Neves, o chefe da Polícia Civil, Fernando Veloso e o chefe do Estado Maior Operacional da PM, Paulo Henrique Moraes.

"Está na hora da sociedade levantar outros questionamentos. Além do debate polícia contra bandido também é necessário discutir as fronteiras, a reforma penal e a maioridade penal. Há a necessidade de alargar essa discussão", disse Beltrame. Ainda segundo o secretário, uma nova reunião deve acontecer. As autoridades irão avaliar o resultado das medidas adotadas. Não está descartado o pedido de ajuda do governo federal para o combate à violência na cidade.

Últimas de Rio De Janeiro