Por thiago.antunes

Rio - O adeus à tabelinha plastificada de correção do valor indicado no taxímetro, que costuma gerar desconfiança do passageiro e aumenta o tempo de parada dos 33 mil amarelinhos da cidade, vai acontecer a partir do dia 12, mais de quatro meses após a Prefeitura do Rio determinar o reajuste da tarifa dos táxis comuns (de R$ 4,70 para R$ 4,80).

Nesta quarta, o Instituto de Pesos e Medidas do Estado do Rio (Ipem) informou que os taxistas têm do próximo dia 12 até 6 de junho para atualizar os taxímetros nas oficinas credenciadas e, assim, aposentar obrigatoriamente a consulta à tabela. O serviço é feito por relojoeiros.

O taxista Gustavo de Souza, de 46 anos, reconhece que muitos passageiros duvidam do valor da bandeirada, uma vez que o taxímetro e a tabela não marcam os mesmos preços. “A culpa não é do taxista. Se dependesse de mim, eu não estaria usando a tabela há muito tempo. Mas este ano estão demorando demais para avisar as datas de aferição”, disse.

Segundo Souza, que faz ponto no Aeroporto Internacional do Galeão, é comum que turistas desconfiem da cobrança ao final da corrida. “Eles ficam sabendo de um valor diferente, e acima do indicado no taxímetro, e acabam achando que estão sendo passados para trás”.

O Ipem fará a certificação da mudança nos taxímetros, durante a qual os aparelhos receberão um selo do Inmetro, somente entre os dias 21 de julho e 30 de setembro. O atraso na verificação estaria relacionado à falta de um lugar adequado, uma vez que o Autódromo de Jacarepaguá, usado anteriormente, está em obras para os Jogos Olímpicos de 2016. A prefeitura ofereceu outros endereços, mas o Instituto não teria aceitado nenhum deles. A reportagem do DIA procurou o Ipem, mas não teve retorno.

Você pode gostar