Por thiago.antunes

Rio - Uma técnica em enfermagem e uma funcionária de salão de estética em Nova Iguaçu, na Baixada, foram presas e autuadas por crime contra a saúde pública e exercício ilegal da profissão. De acordo com a Delegacia Especial de Crimes Contra o Consumidor (Decon), elas acabaram flagradas quando aplicavam Metacril nas nádegas de cliente — a substância é usada para aumentar e ‘levantar’ o bumbum. A aplicação só pode ser feita por médicos.

Agentes apreenderam medicamentos vencidos em Nova IguaçuDivulgação

No local, agentes apreenderam remédios utilizados para bioplastia ou aumento corporal fora de validade. Catarina da Silva, de 37 anos, e Andressa da Silva Ferreira, de 32, caso condenadas, podem ficar até sete anos na cadeia.

Em depoimento no salão Encontro com a Beleza, no bairro Nova Rancho, a vítima que iria ter o bumbum aumentado contou que conseguiu marcar a aplicação através do Facebook, na página ‘Rioplastia de Bumbum’', administrada por Catarina e Andressa.

“A vítima disse que tinha marcado a aplicação pela primeira vez no local. O espaço era usado para mostrar fotos das mulheres que passavam pelo tratamento e conseguiam alcançar o objetivo”, explicou o delegado Ricardo Barboza, da Decon.

As investigações começaram há cerca de dois meses. Não houve registro do caso, no entanto, Barboza solicitou que uma inspetora se passasse como interessada na utilização do produto. Segundo dermatologistas, o uso inadequado de Metacril (polimetilmetacrilato) pode causar até a morte.

Você pode gostar