'Teremos os ônibus que conseguirmos na rua', afirma secretário de Transportes

Sansão diz que 'pressiona' consórcios para que troca de turno de rodoviários seja feita e mais coletivos voltem a circular

Por O Dia

Rio - De acordo com o secretário Alexandre Sansão, a Secretaria Municipal de Transportes está "pressionando" os consórcios de ônibus para que a troca de turnos, na tarde desta quinta-feira, seja feita e mais coletivos passem a circular nas ruas. Na prática, a medida impederia a paralisação de 24 horas feita pelos grevistas.

O secretário caracterizou como absurda a porcentagem de apenas 30% de ônibus em circulação na cidade. Sobre uma previsão da quantidade de coletivos para esta noite, quando muitos trabalhadores estarão retornando para suas casa, o secretário disse: "O que conseguirmos". 

Clique na foto para ver a tabela com os ônibus atacadosFoto%3A Osvaldo Praddo

Sansão disse ainda que a Secretaria está atuando em conjunto com a Polícia Militar e Guarda Municipal para evitar novos piquetes nas portas das empresas rodoviárias que impeçam a saída dos veículos.

>>> GALERIA: Manhã de caos na vida dos cariocas por conta da greve dos rodoviários

Questionado sobre a situação relatada por leitores do O DIA e seguidores do O DIA 24horas (@odia24horas), que denunciaram o preço abusivo que utilitários estariam cobrando em alguns trajetos, por exemplo, 10 reais de Mangaratiba até a Central, o secretario não soube informar se algo está sendo feito. A expectativa é que nesta sexta-feira a situação esteja normalizada.

Rio Ônibus: 325 veículos depredados

Pelo menos 325 ônibus foram depredados na manhã desta quinta-feira, segundo informações da Rio Ônibus. Por conta da greve dos rodoviários, que começou no início desta madrugada, manifestante grevistas realizam piquetes nas garagens das empresas, a maioria na Zona Oeste. Dentre os veículos depredados estão 60 da empresa Jabour, 15 da Real, 16 da Pavunense, 20 da Vila Real e 21 da Viação Redentor. Segundo a Rio Ônibus, apenas 30% da frota está circulando nas ruas. A categoria reivindica aumento de 40% do salário e R$ 400 para a cesta básica. O sindicato estabeleceu piso de 10%.

A greve dos rodoviários deixou a população sem transporte público nesta quinta-feira. Poucos ônibus estão circulando pela cidade com sua capacidade máxima. Os pontos estavam cheios nas calçadas e há muita reclamação por parte dos usuários. Por conta da falta de coletivos, a SuperVia informou que está com a capacidade máxima da frota circulando. Cerca de 49 composições de metrô foram disponibilizados para o reforço da frota. Em função da paralisação de 24 horas, o MetrôRio informou que não está sendo vendido nenhum tipo de bilhete de integração.

Mais de 300 ônibus foram depredados%2C segundo Rio ÔnibusAlessandro Costa / Agência O Dia

A Central do Brasil apresentou um movimento intenso de passageiros, assim como na estação de São Cristóvão. Em Senador Camará, rodoviários impediram e depredaram ônibus que tentavam sair da garagem da empresa Jabour. Tropas do Batalhão de Choque estão posicionadas em portas de garagens de empresas de ônibus com o objetivo de evitar confrontos entre grevistas, que impedem a saída dos coletivos. Pouquíssimos ônibus conseguiram sair para transportar passageiros.

Em Bonsucesso, na garagem da Real, piquete se misturava a rodoviários que chegavam para trabalhar. Os manifestantes grevistas fecharam a pista lateral da Avenida Brasil, na altura de Manguinhos, no sentido Centro e só liberaram por volta das 7h50. Devido à interdição parcial da pista na altura da Fiocruz, o trânsito apresentou reflexos até a altura de Cordovil

Greve dos rodoviários complica a vida dos cariocas que tentam chegar ao trabalhoOsvaldo Praddo / Agência O Dia

Por volta das 9h10 manifestante interditaram novamente a Avenida Brasil, desta vez, na altura de Parada de Lucas, no sentido Centro. Os motoristas também enfretaram complicações na Avenida Marechal Rondon, na altura do acesso para o túnel Noel Rosa. Os grevistas ocuparam uma faixa da via.

Em Vila Isabel, na Zona Norte da cidade, os pontos de ônibus estão superlotados, a reportagem do jornal O DIA observou a movimentação na Rua Teodoro da Silva, onde apenas três ônibus, vindos de Jacarepaguá para o Centro, passaram superlotados. Os motoristas não pararam para os passageiros.

Os ônibus da linha de integração do metrô, que saem da Praça Barão de Drumond, em direção à estação São Francisco Xavier, na Tijuca, não estão circulando. Os grevistas realizam piquete também no Boulevard 28 de Setembro e na Rua Teodoro da Silva, onde um ônibus da Viação Vila Isabel foi apedrejado quando tentava seguir viagem.

Greve dos rodoviários complicam a vida dos passageiros nesta quinta-feira. Pontos de ônibus ficam lotados Foto%3A Alessandro Costa / Agência O Dia

Morador de Vila Isabel, o militar Diego Borges desistiu de ir para o quartel onde trabalha, na Praia Vermelha, Zona Sul da cidade. "Estou sem dinheiro para o táxi e não passa ônibus. Corro o risco de ficar preso por ter faltado o serviço", disse ele.

Circulação de ramais da SuperVia

Em nota, a SuperVia informou que é normal o funcionamento de trens em todos os ramais, na manhã desta quinta-feira. Boletim divulgado pela concessionária às 6h, avisava que a circulação nos ramais acontecia com os seguintes intervalos:

- Ramal Deodoro: intervalos de 10 minutos

- Ramal Santa Cruz: intervalos entre 8 e 15 minutos

- Ramal Japeri: intervalos entre 8 e 15 minutos

- Ramal Belford Roxo: intervalos de 15 minutos

- Ramal Saracuruna: intervalos entre 10 e 30 minutos

- Teleférico do Alemão: funciona normalmente

?Moradores relatam desespero da falta de ônibus e preço abusivo das vans?

Seguidores de O DIA 24 Horas no Twitter (@odia24horas) relataram o drama que viveram nesta manhã. "Vans cobrando 10 reais de Manguariba até a Central por conta da greve dos rodoviários", disse um seguidor, que mora em Paciência, na Zona Oeste.

"Ônibus da Viação Redentor sendo depredado na Estrada do Gabinal", disse outro seguidor, que mora em Jacarepaguá, também na Zona Oeste. A empresa confirmou que 21 coletivos foram quebrados.

O leitor Rômulo Medina usou o trem para seguir viagem de Nilópolis, na Baixada Fluminense, para o Centro do Rio. "Pessoas não saem da Estação Central do Brasil, porque o terminal rodoviário em frente, próximo à Avenida Presidente Vargas, está lotado", relatou ele que encontrou dificuldades para chegar ao trabalho, na Zona Norte da cidade, na manhã desta quinta-feira.

Passageiros enfrentam dia de caos para chegar ao trabalho. Mais de 50 ônibus foram depredados por conta da greve dos rodoviáriosFoto%3A Osvaldo Praddo

BRT Transoeste suspende circulação de ônibus por medida de segurança

O consórcio responsável pelo BRT Transoeste informou que, por medida de segurança, suspendeu a circulação de ônibus do serviço no trecho entre Santa Cruz e Campo Grande, na Zona Oeste da cidade.

Segundo o consórcio, na Avenida Cesário de Melo, onde circulam os ônibus deste trajeto, existem duas empresas de ônibus e rodoviários grevistas realizam piquetes.

De acordo com a assessoria do BRT, a circulação ocorre com 70% da frota no trajeto entre a Barra da Tijuca e Santa Cruz e os intervalos são irregulares. Mesmo assim, muitos passageiros podem encontrar dificuldades para chegar até as estações, pois de acordo com o consórcio, grande parte das linhas alimentadoras do serviço aderiram à greve.

Seguidora de O DIA 24 Horas no Twitter (@odia24horas), Kellen Paula (@kellenapaula) flagrou a estação Santa Eugênia com as portas fechadas, nesta manhã.

Últimas de Rio De Janeiro