Por paulo.gomes

Rio - A tumultuada paralisação de 24 horas dos ônibus na cidade do Rio de Janeiro, na quinta-feira, promete ter novos capítulos. As 43 empresas, individualmente, estão procurando a Polícia Civil para processar individualmente as lideranças da greve. Eles estão levando provas das depredações para tentar facilitar a identificação dos manifestantes envolvidos em atos violentos. A estimativa é que o prejuízo das empresas seja de R$ 2 milhões.

Os ônibus estão circulando normalmente nesta sexta-feira pelas ruas do Rio de JaneiroPaulo Carneiro / Agência O Dia

Na manhã desta sexta-feira, os ônibus circularam normalmente pelas ruas da cidade. Nos terminais da Central do Brasil e Alvorada (Barra da Tijuca), a movimentação dos coletivos e passageiros aconteceram sem nenhum problema, assim como nas estações do BRT Transoeste.

No entanto, ainda nesta sexta, a partir das 16h, acontecerá uma nova assembleia seguida de manifestação.

Rio Ônibus divulga novo balanço dos veículos danificados

A Rio Ônibus informou nesta sexta-feira que o total de 531 ônibus ficaram danificados durante a paralisação, mas que 475, equivalente a 90% da frota, passou por manutenção durante a madrugada e já está nas ruas. Já o Tribunal Regional do Trabalho indeferiu o pedido de liminar contra a paralisação de quinta.

Boa parte da frota da Viação Jabour ficou na garagem. Alguns veículos também foram depredadosAlessandro Costa / Agência O Dia

Em sua decisão, o desembargador Nelson Tomaz Braga considerou que, mesmo com os transtornos causados à população, "o movimento não foi promovido pelo sindicato suscitado, bem como não houve declaração de greve, mas sim uma paralisação de 24 horas com caráter de advertência".

Você pode gostar