Por thiago.antunes

Rio - Para usar o mote de um antigo colunista: este Informe não ficará surpreso se Pezão (PMDB), que apoia Dilma Rousseff, for visto em palanques no Rio ao lado de Aécio Neves (PSDB). Isto, em eventos promovidos por integrantes da base do governador. 

Presidente do PMDB-RJ e líder da dissidência pró-Aécio, Jorge Picciani ressalta que a dinâmica da política “é maior do que a pessoa física”. Para ele, Pezão não poderá fugir de uma realidade — a aliança, em torno do tucano, de peemedebistas e de partidos como PP e PSD.

Em resumo

Pezão manteria o apoio a Dilma, mas faria carinhos nas bases pró-Aécio.

Irritação 1

Presidente da Assembleia Legislativa, Paulo Melo está com Dilma, mas não esconde a irritação com Lindbergh Farias (PT).

Irritação 2

Afirma que o petista, em Araruama, disse que iria “acabar com Paulo Melo” na Região dos Lagos. “Pelo visto, ele não quer que o PT nacional ganhe a eleição. Assim, fica difícil segurar correligionários”, diz.

Atrasos

Entidades conveniadas à Fundação para Infância e Adolescência reclamam de atraso no repasse de verbas. A Secretaria Estadual de Assistência Social diz que pagamentos de março deverão ser feitos no dia 17.

Greve de professores

Luiz Fux, ministro do Supremo Tribunal Federal, chamou a prefeitura e representantes dos professores para uma reunião na terça-feira. No ano passado, ele intermediou o fim da greve da categoria.

Greve de rodoviários

Ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo disse a Eduardo Paes que a Polícia Federal irá apurar se políticos ajudaram a deflagrar e a financiar a greve dos rodoviários.

Você pode gostar