Por bianca.lobianco

Rio - Cerca de 400 rodoviários, que estavam em passeata pela Avenida Rio Branco, chegaram, nesta sexta-feira, em frente ao Ministério do Trabalho e fizeram uma manifestação reinvindicando o acordo feito entre o sindicato da categoria e a RioÔnibus. Nesta quinta, dois promotores do Ministério Público estiveram na sede do sindicato  uma denúncia anônima que eles receberam sobre as irregularidades na assembleia que fechou o acordo. O encontro entre a comissão da categoria estava marcado para as 15h, mas eles só chegaram por volta das 16h30. A comissão está reunida com os representantes para renegociar os termos do acordo feito entre as empresas e o sindicato. Eles querem 40% e o fim da dupla função (motorista/cobrador). 

Rodoviários fizeram passeata pela Rio Branco e interditaram duas pistas da via por 40 minutosErnesto Carriço / Agência O Dia

Hélio Alfredo Teodoro, um dos líderes do movimento, se desculpou sobre a greve que deixou a população do rio a pé. "Peço desculpas pra a população, mas quem quer a greve é o sindicato, porque eles acham que são donos dos rodoviários. Nós queremos 40% de aumento". 

Sobre os espisódio de quebra-quebra, Hélio diz que não teve como controlar. "Ninguém garante que todos aqui são rodoviários. Nenhum líder fez quebra-quebra e tem gente infiltrado do sindicato aqui", disse ele, que falou, ainda, que não conseguiu um carro de som para a manifestação porque, segundo eles, as empresas de ônibus teriam impedido as outras empresas de fornecer o equipamento para a disseminação da greve. 

Do lado de fora, as pessoas fazem coro: "Duvida não, duvida não, se não der aumento, na Copa não tem busão", cantam os manifestantes. 



Você pode gostar