Delegado destaca tranquilidade de jovem feita refém em ônibus na Av. Brasil

Sequestrador deixou a tesoura cair e menina, levada pela situação de dominação, o ajudou a procurar o objeto

Por O Dia

Rio - O delegado-adjunto da 39ªDP (Pavuna), Felipe Santoro, afirmou na manhã deste domingo que apesar de menor de idade, Rafaela Lobo, de 17 anos, não pareceu assustada em nenhum momento durante o sequestro do ônibus da linha 723 (Mariópolis-Cascadura) na Avenida Brasil no final da tarde deste sábado. Em uma ocasião, quando estavam abaixados no ônibus, o sequestrador deixou a tesoura cair e a menina, levada pela situação de dominação, o ajudou a procurar o objeto.

Santoro voltou a afirmar que Paulo Alberto Ferreira da Silva, de 32 anos, promoveu a ação "para chamar atenção". Segundo o delegado, o sequestrador não tentou roubar ninguém e não aterrorizou ou tentou machucar a jovem em nenhum momento, tanto que ela estava bem calma.

Ele foi interrogado e de acordo com Santoro, estava bastante desorientado, mas não é possível afirmar se isso era da "própria personalidade dele ou se estava sob efeito de drogas". Não foi feito nenhum exame toxicológico.

Paulo Alberto vai responder por sequestro simples contra o motorista, qualificado pela menor e ameaça. Segundo o delegado, o sequestrador contou que estava sendo perseguido.

Rafaela estava sentada em um dos bancos mais altos, na parte de trás no ônibus, o sequestrador entrou no coletivo na altura de Deodoro, pagou a passagem e se dirigiu para o último banco.

Na altura do Shopping Guadalupe ele deu um puxão no cabelo da menor, mandou que todas as pessoas descessem do ônibus e apenas o motorista e a jovem ficassem.

Últimas de Rio De Janeiro