Por thiago.antunes

Rio - A Polícia Federal e a Controladoria-Geral da União fizeram, nesta segunda-feira, operação que apurou desvio de recursos públicos no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio de Janeiro (IFRJ). A investigação constatou simulações de abastecimentos de combustíveis da frota de veículos da reitoria do IFRJ. O prejuízo aos cofres públicos ultrapassa o valor de R$ 1 milhão. O motorista do reitor do IFRJ foi preso em flagrante, no momento em que realizava um abastecimento fictício de toda a frota do instituto federal em posto de gasolina na Tijuca. O gerente do posto também foi preso.

Vinte e cinco policiais federais e quatro auditores da CGU cumpriram seis mandados de busca e apreensão na sede do IFRJ, inclusive na sala do reitor e pró-reitor, bem como em residências dos investigados. Tais mandados foram expedidos pela 10ª Vara Federal Criminal.

As investigações começaram com trabalho de auditoria compartilhada entre a Controladoria Regional da União no Estado do Rio e a Auditoria Interna do IFRJ. Em possível represália, ao longo das investigações, o responsável pela auditoria interna do IFRJ foi exonerado pelo reitor do Instituto.

Nas análises efetuadas, foram verificadas, por exemplo, simulações de abastecimentos de combustíveis em quantidades superiores a capacidade dos tanques dos carros abastecidos, com utilização de cartões para abastecimento de um mesmo veículo.

Com o cartão de abastecimento do veículo oficial de uso do reitor foram realizados débitos correspondentes a aquisições de 58.041,08 litros de combustível, volume suficiente para percorrer aproximadamente 522.369,72 km, enquanto o hodômetro registrava pouco mais que 16.000 Km rodados. Outros contratos do IFRJ serão analisados.

Você pode gostar