Por paloma.savedra

Rio - O pequeno número de ônibus circulando nas ruas impediu que o plano de contingência da Prefeitura do Rio funcionasse plenamente. Pela manhã, apenas 10% da frota operava, subindo, ao meio dia, para 18%. No entanto, segundo o secretário municipal de Transportes, Alexandre Sansão, pelo menos 30% dos coletivos municipais têm de estar operando para que o plano seja bem sucedido. 

>>> GALERIA: Nova paralisação dos ônibus atrapalha a vida dos cariocas

"O plano foi bem estruturado, porém a quantidade pequena de ônibus dificultou que pudesse ser bem sucedido, pois não tivemos coletivos suficientes para fazer a integração física com os outros modais. Trem, metrô e barcas cumpriram com todos os horários e intervalo, mas tivemos essa dificuldade. Para que o plano funcione minimamente temos de ter 30% da frota nas ruas", analisou Sansão.

Ele prometeu ainda aumentar a oferta de coletivos ao longo do dia: "Começamos o dia com poucos ônibus circulando e praticamos dobramos o que tinha. Vamos aumentar esse número no pico da tarde", disse o secretário, que ressaltou a importância da ação da PM.

"Muitos motoristas deixaram de ir trabalhar com medo da violência. Mas como fizemos uma operação mais forte e estruturada em conjunto com a PM, tivemos menos atos de violência que na semana passada", declarou Sansão, que garantiu a execução do plano de contingência amanhã: "Vamos trabalhar a favor das linhas de integração com trens, barcas e metrô, e com ajuda da Polícia Militar e Guarda Municipal".  

Usuários dos intermunicipais também sofrem com a greve 

Apesar de os motoristas das linhas intermunicipais não estarem participando da paralisação dos rodoviários, que é da rede municipal, passageiros que precisam pegar um ônibus do município estão sendo prejudicados. Segundo a assessoria da Fetranspor, eles estariam sendo impedidos de chegar ao seu destino por conta da dificuldade de realizar a conexão entre as duas linhas.

Muitos passageiros estão sofrendo dificuldade para chegar ao seu destino por conta da conexão entre as linhas municipais e intermunicipaisOsvaldo Praddo / Agência O Dia

Pela manhã, houve registros de piquetes na Avenida Brasil, dois funcionários da Viação Silvestre, um homem e uma mulher, tentaram impedir que um motorista da linha 945 (Pavuna x Ilha do Fundão), da Viação Via Rio, prosseguisse a viagem. A dupla obrigou o motorista a parar o coletivo na pista lateral de descida da Avenida Brasil, na altura da Penha, e quebrou a chave do ônibus.

Já na Tijuca, policiais do Batalhão de Choque prenderam quatro pessoas que ocupavam duas motos, na Praça Saens Peña, que tentavam obrigar um motorista de ônibus a desembarcar do veículo. Eles tentaram fugir da PM, mas foram detidos e levados para a 19ªDP (Tijuca).

Em Santa Cruz, cinco pessoas foram detidas na Rua Felipe Cardoso em um carro particular suspeitas de depredarem ônibus no bairro. A PM recebeu alerta, via rádio, sobre os suspeitos.

Eles teriam depredado ônibus do BRT na estação Pingo D'Água, e fugiram no carro interceptado pelos policiais. Todos os cinco são rodoviários e trabalham na Viação Pégasus. Com os homens foram encontrados paus e pedras. O ônibus do BRT que foi depredado foi levado, por ordem da empresa, para a porta da 36ª DP (Santa Cruz) para registrar queixa.

Apenas 18% da frota de ônibus está circulando na cidade do Rio de Janeiro. Greve terá duração de 48 horasOsvaldo Praddo / Agência O Dia

O BRT Transoeste informou que, desde meio-dia, opera com 40% da frota nos serviços Santa Cruz - Alvorada, Pingo D'Água - Alvorada e Alvorada - Recreio. Já as estações do eixo Santa Cruz - Campo Grande permanecem fechadas.

Frota de ônibus circulando nas ruas volta a subir na tarde desta terça

A frota de ônibus circulando pelas ruas do Rio voltou a subir na tarde desta terça-feira. O número de coletivos nas ruas agora chega a 18%. No início da manhã o número era de 10% e chegou a 16% às 10h, de acordo com a Secretaria Municipal de Transportes. A categoria paralisou grande parte da circulação às 0h, causando transtornos a muitos trabalhadores.

A previsão do fim da greve é somente às 23h59 de quarta-feira. Como a paralisação foi anunciada na tarde de segunda-feira, muita gente se programou e o caos foi menor comparado à paralisação da última quinta-feira. A frota do Rio é formada por 8,8 mil ônibus, de acordo com a secretaria. Portanto, o número de ônibus circulando atualmente na cidade é de 1.584. A Secretaria de Transportes espera que com o aumento da frota a volta para casa na tarde de hoje seja mais tranquila.

Greve dos rodoviários deixa população a pé Paulo Campos / Agência O Dia

Poucos ônibus nas ruas do Rio de Janeiro

Excepcionalmente hoje, os carros que trafegarem na faixa seletiva da Avenida Brasil e pelos corredores BRS da cidade não serão multados. Na Zona Oeste, 10 ônibus da Auto Viação Jabour foram depredados, de acordo com a Rio Ônibus. Para tentar minimizar os impactos à população carioca, a Prefeitura do Rio montou um plano de contingência, junto às concessionárias CCR Barcas, MetrôRio e SuperVia.

Segundo a Secretaria Municipal de Transportes, foram priorizados os ônibus que fazem ligações com outros modais, como linhas de ônibus intermunicipais, trem, barcas e metrô. Além disso, também foram priorizadas linhas essenciais para o deslocamento da população em áreas não atendidas por outros meios de transportes.

"Estamos priorizando as linhas que fazem a integração com trem e metrô, que estão com o horário de pico antecipado desde cedo e fazendo intervalos mínimos ao longo de todo o dia. Os poucos ônibus que estão circulando hoje estão selecionados para trabalhar em linhas de integração", disse o secretário Alexandre Sansão.

Mais de 70 ônibus foram danificados nesta terça, diz sindicato das empresas

A Rio Ônibus afirmou que 74 ônibus foram depredados na manhã desta terça-feira, no primeiro dia de paralisação dos rodoviários do Rio. Segundo informações do sindicato, as principais avarias são quebra de parabrisas, janelas, retrovisores e furto de chaves. Na paralisação da última quinta-feira, 531 veículos foram danificados e o prejuízo estimado pela Rio Ônibus foi de R$ 2 milhões. 




Você pode gostar