Por paloma.savedra

Rio - O Sindicato dos Motoristas e Cobradores de Ônibus do Rio de Janeiro (Sintraturb Rio) informou, na tarde desta terça-feira, que vai recorrer da multa de R$ 50 mil imputada pelo Tribunal Regional do Trabalho, no caso de manutenção da greve dos profissionais da categoria. O vice-presidente do sindicato, Sebastião José, frisou que a paralisação é organizada por um grupo de dissidentes e que, por isso, a entidade não poderia ser responsabilizada.

"Fomos notificados agora à tarde e pegos de surpresa. Já estamos recorrendo da decisão. Respeitamos o TRT, que sempre nos apoiou nas negociações de campanhas salariais anteriores. Esse movimento tem fundo político, tanto que cerca de 40 mil, entre motoristas, cobradores, fiscais e mecânicos não estão participando desse movimento. Somente um grupo de 350 pessoas que estão manchando a imagem dos profissionais sérios e protagonizando cenas de vandalismo pela cidade", declarou Sebastião.

O Tribunal Regional do Trabalho do Rio determinou, na tarde desta terça-feira, que 70% dos ônibus do Rio voltassem a circular, sob pena de multa de R$ 50 mil contra o Sintraturb. A liminar foi concedida pela vice-presidente do TRT, desembargadora Maria das Graças Cabral Viegas Paranhos. A magistrada frisou ainda que a decisão de paralisar o serviço não foi informada aos empregadores e aos usuários do transporte com a antecedência mínima de 72 horas, o que violou a Lei de Greve. Também destacou que o transporte rodoviário de passageiros é considerado atividade essencial, e que o sindicato é representante legítimo da categoria.

Você pode gostar