Por paloma.savedra

Rio - Policiais civis do Rio estão reunidos, desde as 16h desta segunda-feira, na sede de um dos seus sindicatos, no Centro, para assembleia da categoria. O grupo decidiu fazer paralisação por 24 horas, nesta quarta-feira, e se reúne para discutir a pauta de reivindicações, entre elas a incorporação da Gratificação de Delegacia Legal (GDL) de R$ 850. 

Já o outro sindicato que representa os policiais civis, Sindpol, convocou os sindicalizados para uma assembleia geral, a partir das 19h de quarta-feira, no Club Municipal, na Tijuca. A categoria alega que o governo estadual quebrou acordo - não divulgado pela entidade - com o sindicato, em relação às correções salariais  e de plano de cargos, carreiras e salários da instituição. Eles ainda não decidiram sobre a greve da categoria.

Divididos em duas entidades sindicais

Com o mesmo nome - Sindicato dos Policiais Civis do Estado do Rio - e apenas uma letra distinguindo as entidades, Sinpol e Sindpol reúnem quase o mesmo número de associados e brigam pela representatividade da categoria na Justiça.

Presidente do Sinpol, Fernando Bandeira defende que o sindicato concorrente não tem registro sindical para funcionar, já que teria surgido depois do Sinpol - Constituição Federal proíbe a existência de duas entidades para representar a mesma categoria.

Já o presidente do Sindpol, o inspetor Francisco Chao, afirma que o Sindpol é mais antigo, mas estava inativo e teria retomado as atividades em 2007. Ele alega que a questão burocrática está sendo resolvida.


Você pode gostar