Por thiago.antunes

Rio - O Instituto Rio Patrimônio da Humanidade (IRPH), por meio do Conselho Municipal de Proteção ao Patrimônio Cultural, deu parecer favorável nesta quinta para a instalação de uma super roda-gigante, com vista panorâmica, na Quinta da Boa Vista, em São Cristóvão. O instituto tinha vetado a instalação do aparelho, comprado por três empresários por R$ 6 milhões, na Enseada de Botafogo, sugerindo a montagem na Zona Norte, sob a alegação de que na Zona Sul já há mirantes suficientes.

Nesta quinta-feira, em nota, a assessoria do IRPH ressaltou, porém, que, apesar de a Quinta da Boa Vista ter estrutura para receber o equipamento — de 52 metros de altura (16 a mais do que a montada no Forte de Copacabana em 2008 e 2009), equivalente a um prédio de 17 andares e pesando cerca de 115 toneladas —, a aprovação do local depende de licenças de vários órgãos, como o Instituto de Patrimônio Histórico Nacional (Iphan), responsável pelo tombamento da área.

Imagem de como ficaria a super roda-gigante na Enseada de BotafogoDivulgação

Sávio Neves, um dos sócios do empreendimento, lamentou o veto à Enseada de Botafogo. “A prefeitura quebrou um acordo feito há seis meses. Agora, talvez, não tenhamos tempo para montar o equipamento antes da Copa do Mundo, devido à complexidade de engenharia e a burocracia para se tirar as licenças”, argumentou Neves, ressaltando que a roda-gigante ficaria dentro de um terreno particular, pertencete ao Botafogo Futebol Clube, por dois anos.

De acordo com Neves, a estrutura terá 30 gôndolas com ar condicionado, além de som ambiente e saídas para MP3 Player. Cada uma tem capacidade para 14 pessoas — 420 pessoas no total. O ingresso, para cada volta, deverá custar R$ 25.

Você pode gostar