Por thiago.antunes

Rio - A falta de apoio do PSDB poderá levar o vereador Cesar Maia, do DEM, a desistir de sua candidatura ao governo estadual. No Rio, os tucanos e os democratas são aliados históricos, mas correm o risco de não se coligar nestas eleições.

Em nota, Cesar Maia é evasivo ao falar de sua possível renúncia à corrida pelo Palácio Guanabara. Diz apenas que no Rio “tudo caminha bem e pré-definido com o PSDB”. Nacionalmente, o DEM estuda apoiar a candidatura do tucano Aécio Neves à Presidência. “A decisão sobre o casamento depende das negociações em Brasília, que envolvem os presidentes do PSDB e do DEM. Creio que em mais uma semana as decisões serão tomadas”, disse Maia.

Pezão tem se esforçado para participar de várias inaugurações André Luiz Mello / Agência O Dia

Assim como o ex-prefeito, o deputado Miro Teixeira, do Pros, é outro que cogita abdicar da candidatura ao governo do Rio, caso não consiga fechar a coligação com o PSB do presidenciável Eduardo Campos. Como o ‘Informe do DIA’ revelou nesta sexta, Miro teria dito à direção nacional do partido “que, sem os acordos, será descortês insistir na candidatura”.

A pouco mais de duas semanas do início das convenções partidárias, o governador Luiz Fernando Pezão, do PMDB, é de longe o pré-candidato com o maior número de apoios, com 15 partidos em sua base. Pezão tem se dedicado com afinco a fazer inaugurações de obras e a viajar por todo o estado, na tentativa de se tornar mais conhecido. Os pré-candidatos Marcelo Crivella (PRB) e Anthony Garotinho (PR) também correm contra o tempo para buscar alianças.

Você pode gostar