Festival de luzes verdes e amarelas colore a cidade

Corcovado será próximo ponto a ganhar cores da Bandeira, como Aterro e Igreja da Penha

Por O Dia

Rio - Além de ruas e comércios, pontos turísticos do Rio também estão entrando no clima da Copa do Mundo. O projeto da Companhia Municipal de Energia e Iluminação (Rioluz) já instalou 88 lâmpadas e projetores de norte a sul da cidade. No Forte de Copacabana, por exemplo, foram colocados 32 projetores com lâmpadas de 400 watts.

Na Igreja da Penha, 22 lâmpadas de 400 watts iluminam o santuário na Zona da Leopoldina. Já no Aterro do Flamengo, o Monumento aos Pracinhas recebeu reforço de 12 projetores de mil watts, assim como seis passarelas, com 22 lâmpadas de 400 watts. 

Na próxima segunda-feira, o Cristo Redentor, que já tem 300 projetores de Led integrados ao sistema que permite mudança de cores, também ganhará as cores da Bandeira Nacional. “A iluminação incentiva a torcida verde-amarela”, afirmou o presidente da Rioluz, Henrique Pinto.

A Rioluz está instalando iluminação temática para a Copa em vários pontos da cidade%3A desde ontem%2C a passarela do metrô da Cidade Nova ganhou iluminação verde-amarelaPaulo Araújo / Agência O Dia

Desde esta segunda-feira, quem passa pela passarela do metrô da Cidade Nova, no Centro, também pode contemplar a iluminação especial. Até o Mundial, que começa em 12 de junho, a Igreja Nossa Senhora da Penha, na Freguesia, e o Parque Madureira também engrossam a lista de locais que receberão as luzes temáticas. O presidente da Rioluz tem pretensões de enfeitar ainda mais pontos da cidade, como as pontes estaiadas da Transcarioca — neste caso, ainda existem negociações.

Enquanto isso, a Operação Camisa 10 desencadeada nesta segunda na Região Sul Fluminense, que fiscaliza estabelecimentos que atenderão turistas durante o Mundial, jogou sombras sobre o Hotel Portobello, em Mangaratiba. O resort que vai receber a seleção da Itália foi autuado pelo Procon-RJ. Em vistoria, o órgão de defesa do consumidor encontrou 49 quilos de alimentos vencidos ou sem especificação.

A direção do Portobello explicou-se e garantiu que nenhum alimento fora de validade foi servido. “Em função do grande movimento de público, houve uma falha no descarte dos alimentos, que venceram no dia anterior à visita”, afirma nota do hotel. Em 11 dias de operação, o Procon-RJ autuou 92 restaurantes e 17 hotéis por irregularidades.

Aumenta cerco a cambistas

Uma mulher foi presa em flagrante, na última sexta-feira, ao tentar vender por R$ 7 mil dois ingressos para a final da Copa do Mundo em um shopping na Zona Norte. Foi a segunda prisão realizada pela ‘Operação Torcedor’, iniciada pela Delegacia do Consumidor (Decon) na segunda-feira retrasada, quando um homem foi preso no Centro, ao tentar vender dois ingressos por R$ 800 para Espanha x Chile, no Maracanã.

A negociação de entradas se intensificou na internet, às vésperas da Copa. No site Iguana Tickets, uma entrada de categoria dois para a final custa quase R$ 40 mil, 30 vezes acima do valor cobrado pela Fifa (R$1.320). A página é alvo de reclamações nas redes sociais, por conta de atrasos nas entregas.

No Facebook, um grupo reúne quase 13 mil pessoas do Brasil inteiro em busca de uma chance para assistir ao Mundial. Em jogos de pouco apelo, como Bélgica x Rússia, no Maracanã, internautas chegam a pedir R$ 1.400 para o setor 4, o mais barato do estádio (R$ 60). De acordo com o Estatuto do Torcedor, a venda de ingressos com preço superior ao estampado no bilhete pode dar em reclusão de um a dois anos, além de multa.

Últimas de Rio De Janeiro