Por thiago.antunes

Rio - A volta do bondinho de Santa Teresa já tem data. A partir de agosto, o maior símbolo do bairro começa a circular, de modo experimental, num trecho de cerca de 1.300 metros, que contempla as ruas Francisco Muratori e Joaquim Murtinho, até o Largo do Curvelo. Em fase de testes na fábrica que fica no interior do estado, em Três Rios, dos 14 novos bondes, há um pronto e três sendo finalizados.

Após três anos fora de circulação devido a grave acidente que matou cinco pessoas em agosto de 2011, os bondinhos voltam aos trilhos com reforços na segurança. Entre eles, o sistema de freios magnéticos independentes e o freio magnético de emergência. Recursos de injeção e areia das quatro rodas também zelam pela estabilidade do bondinho — antes, existiam apenas em duas rodas. O novo bonde tem elementos para a melhoria do trabalho dos motorneiros, como limpador de para-brisa, retorvisor e banco.

Sistemas de injeção e areia nas quatro rodas estabilizam o bondinho. Nos antigos%2C havia só em duas rodasAndré Luiz Mello / Agência O Dia

O que não muda é o charme: toda a identidade visual será preservada. A cor amarela, os bancos de madeira e as dimensões do antigo bondinho continuam as mesmas. A tarifa está sendo estudada, mas tudo indica que os moradores do bairro terão descontos na passagem.

A capacidade dos novos bondes é de 32 passageiros. A previsão é que metade deles contem com recursos de assecibilidade para cadeirantes. Nestes, a capacidade será de 25 passageiros. Cortinas de plástico transparente, para proteger da chuva, e estribos metálicos, para evitar que os passageiros viajem em pé, estão nos novos bondinhos, segundo a Secretaria Estadual da Casa Civil.

Você pode gostar