Sérgio Cabral não será mais candidato ao Senado

PMDB cede vaga a Ronaldo Cezar Coelho (PSD) em troca do apoio do partido à reeleição de Pezão

Por O Dia

Rio - O ex-governador Sérgio Cabral vai desistir de concorrer ao Senado nas eleições de outubro. A informação foi divulgada no ‘Informe do DIA’, na edição do dia 17, e confirmada ontem pela cúpula do PMDB. A decisão só será oficializada após as convenções partidárias de junho.

Em vez de encarar uma disputa acirrada pelo Senado com o deputado Romário (PSB), Cabral estuda concorrer à Câmara dos Deputados ou até ficar sem mandato. O gesto abre caminho para que o PSD do ex-prefeito Gilberto Kassab de São Paulo, apoie a reeleição do governador Luiz Fernando Pezão.

Nesse cenário, o PMDB cede a vaga ao Senado ao ex-deputado tucano Ronaldo Cezar Coelho, hoje no PSD, e Cabral concorre à Câmara. A ideia é que o ex-governador atue como grande puxador de votos, aumentando a bancada federal peemedebista. Além disso, a aliança em torno de Pezão, que conta com 15 partidos, ficaria fortalecida.

O ex-tucano Ronaldo Cezar Coelho deverá ser o candidato ao Senado no lugar do ex-governador CabralMárcio Moraes / Agência O Dia

A aproximação do PSD e PMDB, no entanto, não é vista com bons olhos pela cúpula do PT. Apesar de Kassab ter declarado apoio à reeleição da presidenta Dilma Rousseff, o PSD do Rio está aliado à candidatura à Presidência do tucano Aécio Neves.

A aliança do PSD do Rio com o PMDB do estado fortalece o movimento conhecido como ‘ Aezão’. São peemedebistas simpáticos à candidatura de Aécio, que prometem votar no tucano em represália ao lançamento da candidatura do senador Lindbergh Farias, do PT, ao governo do estado. O PMDB do Rio alega que os petistas descumpriram acordo de apoiar a reeleição de Pezão.

O PT fluminense cogitou oferecer a Indio da Costa (PSD) a vaga de vice-governador na chapa de Lindbergh. Agora, com a união entre PSD e PMDB, os petistas esperam que Lula, considerado o grande cabo eleitoral da eleição, se aproxime mais de Lindbergh no Rio.

Aezão reúne lideranças

O deputado estadual do Partido Solidariedade (SDD) Pedro Fernandes Neto afirmou ontem que o evento do dia 5 a favor do pré-candidato à Presidência da República Aécio Neves (PSDB), com a participação de apoiadores da campanha de Luiz Fernando Pezão (PMDB), está acima dos partidos e que irá reunir lideranças políticas significativas do Estado do Rio de Janeiro.

Conhecido como ‘Aezão’ — Aécio mais Pezão —, o movimento é liderado por dissidentes do PMDB, como o presidente regional do partido Jorge Picciani, insatisfeitos com a ala do PT, que incentivou a candidatura de Lindbergh Farias ao Palácio Guanabara. Além do SDD e políticos do PMDB, Pedro Fernandes confirmou a presença de lideranças do PSD, PP, PPS, PEN, PSL e, até mesmo, do Pros que ainda aguarda uma definição do PSB, de Eduardo Campos.

Últimas de Rio De Janeiro