Polícia investiga convocação para que moradores da Serrinha incendiassem ônibus

Mulher foi autuada por incitação ao crime, através do Facebook

Por O Dia

Rio - Uma convocação pela internet para queimar ônibus e espalhar o medo por ruas de Madureira está sendo investigada pela Polícia Civil. A situação foi descoberta através do monitoramento do perfil de uma mulher no site de relacionamentos Facebook, onde supostos moradores do Morro da Serrinha conversavam sobre descer a favela e interceptar coletivos.

Nesta sexta-feira, a dona da página foi chamada na 29ª DP (Madureira) para prestar esclarecimentos. Ela negou ter sido a autora da postagem e disse à polícia que seu perfil no site foi hackeado (invadido por estranhos). Mesmo assim, o delegado Carlos Henrique Pereira Machado autuou a mulher pelo crime previsto no artigo 286 do Código Penal, que fala sobre incitação ao crime. Caso seja condenada, ela pode pegar pena de três a seis meses de detenção.

Morro da Serrinha%2C em Madureira%2C tem sido alvo de operações da políciaSeverino Silva / Agência O Dia

Investigadores receberam informações sobre a página ontem e identificaram a autora. Segundo o delegado, as conversas giravam sobre a possibilidade de um grupo descer o morro, fechar o trânsito e incendiar veículos em uma das principais vias do bairro, a Avenida Ministro Edgard Romero.

“É importante que as pessoas se conscientizem de que serão investigadas porque promoveram o crime publicamente. Vamos checar, inclusive, se essas pessoas têm relação com o tráfico local”, disse o delegado, ressaltando que há informação de que a mulher seria prima do traficante William Yvens da Silva, o Coelhão, um dos chefes do tráfico da Serrinha, mas ela negou o parentesco.

Últimas de Rio De Janeiro