Por paloma.savedra

Rio - Motoristas de ônibus do Rio, Niterói, São Gonçalo e Baixada Fluminense pretendem fazer uma paralisação unificada, com objetivo de fortalecer o movimento da categoria e a pressão aos sindicatos patronais. A ideia foi articulada, nesta sexta-feira, durante assembleia dos dissidentes do sindicato que representa a categoria do Rio (Sintraturb). 

A baixa adesão dos rodoviários do Rio à paralisação de quarta-feira - apenas 10% - levou os líderes a pensar em outras estratégias. Em Niterói, há indicativo de greve na terça-feira, mas nada foi definido: o sindicato da categoria (Sintronac) se reunirá com o grupo na segunda, para apresentar propostas de acordo com as empresas de ônibus.

Assim como a categoria do Rio, os rodoviários de Niterói não concordam com o aumento salarial de 15% proposto pela entidade. Eles querem reajuste de 40%. Na quarta-feira, eles se reuniram em assembleia, que teve pouca participação. 

A ideia de unificar o movimento já vinha sendo cogitada, porém, na reunião desta sexta-feira, a proposta foi incentivada por todos os rodoviários. Ainda não há previsão de manifestação da categoria. 

TRT julgará dissídio na segunda-feira

Os dissidentes ainda esperam o julgamento do TRT, na segunda-feira, sobre a legalidade do movimento: o sindicato patronal (Rio Ônibus) ajuizou ação de dissídio de greve contra o Sintraturb. Apesar de a entidade não estar à frente das manifestações, ela é a representante legal dos rodoviários.

>>> Leia Mais: Rodoviários se reúnem para decidir os rumos do movimento

>>> Leia Mais: Rodoviários de Niterói e São Gonçalo podem parar na próxima terça-feira

Reportagem de Paulo Maurício Costa

Você pode gostar