Simulado contra ataque terrorista mobiliza 270 agentes de segurança

Treinamento voltado para a Copa do Mundo envolveu União, estado e órgãos do município do Rio de Janeiro

Por O Dia

Rio - Um cenário de guerra foi montado na manha deste sábado em plena estação Cidade Nova do metrô. O local foi escolhido pelos agentes de órgãos de defesa e segurança para um simulado contra ataque terrorista na Copa do Mundo. No treinamento, fumaça saía dos vagões e pessoas corriam, supostamente feridas. Em seguida, bombeiros com máscaras e macas entravam em cena. A ação, coordenada pelos ministérios da Justiça e da Defesa, contou com 270 profissionais, entre civis e militares.

O treinamento começou às 7h50, quando foi ouvido um barulho, seguido de fumaça e da abertura das portas dos vagões. Três minutos depois, agentes do metrô chegaram, sem máscaras, ao local para prestar o primeiro atendimento.

Forças de segurança participam de simulado anti-terrorista para a Copa na estação Cidade NovaEstefan Radovicz / Agência O Dia

>>> GALERIA: Confira mais fotos do simulado

Às 8h06, agentes do Corpo de Bombeiros, com máscaras, chegaram à estação, com macas para retirar os feridos. Os militares também identificaram as vítimas com fitas de acordo com a gravidade do caso (verde para leves, amarelo para intermediário e vermelha para graves). “O processo de identificação é importante para que as equipes de socorro saibam com que tipo de acidentado estão lidando e se, por exemplo, aquele ferido tem condições de caminhar ou não”, diz o tenente-coronel Paulo Cabral.

Responsável pela divisão de defesa química biológica e nuclear do Centro Tecnológico do Exército, Cabral afirmou ainda que as cidades que sediarão a Copa do Mundo estão preparadas para prestar atendimento às vítimas em caso de um incidente radiológico.

“O primeiro passo é a triagem para verificar se as pessoas estão contaminadas e o nível de contaminação. Depois serão levadas para o Posto de Descontaminação Total, uma barraca, onde receber ão soluções para uma descontaminação completa”, conta o tenente-coronel.

Durante todo o período da Copa do Mundo, unidades do Posto de Descontaminação Total estarão disponíveis para serem deslocados para o local de um incidente radiológico. “No caso do Rio, todas as equipes de descontaminação, que envolvem entre 300 e 400 pessoas, estarão trabalhando nos sete jogos que vão acontecer no Maracanã. O Posto de Descontaminação Total fica sob rodas, em locais próximos aos ventos, e se deslocam rapidamente, chegando ao local em cerca de 10 minutos”, garante Paulo Cabral.

A simulação realizada na estação Cidade Nova foi considerada um sucesso pelo major do Exército Marco Ferreira, que coordenou a ação. “Alcançamos o objetivo de fazer a integração entre as Forças Armadas, os agentes do metrô, o Corpo de Bombeiros, as polícias Militar e Civil, e isso foi feito”, frisou o militar.

Reportagem de Regiane Jesus

Últimas de Rio De Janeiro