Por bianca.lobianco

Rio - O primeiro reforço na proteção da cidade para a Copa do Mundo já entrou em campo. Militares dos dois Batalhões de Campanha criados pela PM exclusivamente para os jogos passou o fim de semana na missão de garantir a segurança dos locais por onde passaria a presidenta Dilma Rousseff e sua comitiva, em visita ao Rio ontem. 

Desde sexta-feira, eles foram distribuídos no patrulhamento pelo corredor de segurança formado entre as zonas Sul, Oeste, Centro e Maracanã. Em abril, O DIA mostrou que a tropa é diferenciada: os dois mil policiais passaram por treinamento que os capacitou para atuar em qualquer tipo de evento ou situações com aglomerações de pessoas.

Policiais passaram por treinamento para atuar em qualquer tipo de evento ou situações com aglomerações Severino Silva / Agência O Dia

O grupo começou a atuar no final do treinamento e a montagem do esquema de atuação dos batalhões obedeceu a critérios específicos que incluíam pontos estratégicos e críticos da cidade, de acordo com os índices de criminalidade.

O contingente será dividido em alas, para atuar nos locais determinados pela coordenação do esquema de segurança na Copa. É uma tropa de pronto emprego, que pode ser acionada em número variado, dependendo do local ou da situação. Poderão ser acionados de 550 a 600 policiais por dia no patrulhamento das ruas, chegando ao número total das duas unidades (dois mil PMs) em casos emergenciais.

Os batalhões serão divididos em duas sedes temporárias, no Centro de Formação e Aperfeiçoamento de Praças (CFAP), em Sulacap, e outro no 16º BPM (Olaria). À frente do comando extraordinário estará o coronel Ezequiel Oliveira de Mendonça.Após a Copa,os militares poderão usar as técnicas adquiridas em qualquer evento no estado.

Ténicas de abordagem

Os Batalhões de Campanha são formados por policiais de todo o estado, que terão as férias suspensas no período do Mundial. Praças e oficiais de diversas unidades foram convocados para o treinamento, que teve 10 dias de duração.

O curso foi baseado em recomendações das Organizações das Nações Unidas (ONU), com o ensino de técnicas de abordagem, policiamento em multidões, revista, identificação de objetos suspeitos em locais de jogos, armamento não-letal, defesa pessoal, entre outros.

Em outra unidade que também vai atuar na Copa, o Batalhão de Grandes Eventos (BPGE) teve seu comando trocado na última segunda-feira. A unidade foi criada para atuar em manifestações e em apoio a eventos. A PM alegou que a mudança foi necessária para dar agilidade a projetos da unidade. No lugar do tenente-coronel Wagner Villares, assumiu o então subcomandante Heitor Henrique Rosa Pereira.


Você pode gostar